Igreja do Algarve apresenta segundo ano do Triénio Pastoral 2021/2024 e reestruturação paroquial

A Diocese do Algarve irá apresentar no próximo dia 17 de setembro o segundo ano do Triénio Pastoral 2021/2024 e a “nova organização da pastoral paroquial em chave missionária” em Assembleia Diocesana que terá lugar no salão de São Pedro do Mar, em Quarteira.

O Programa Pastoral da Diocese do Algarve para o ano 2022/2023, que agora se vai iniciar, será apresentado naquele encontro que tem como destinatários os sacerdotes, diáconos, religiosos, membros das equipas de departamentos, secretariados e setores dos serviços diocesanos, os responsáveis de movimentos e associações e dos Conselhos Pastorais Paroquiais.

O Triénio Pastoral 2021/2024 tem como tema “Renovar pela transformação do Espírito (Ef 4,23)”.

Para além disso, e segundo a informação divulgada pela Diocese do Algarve, será também apresentada a “nova organização da pastoral paroquial em chave missionária”, anunciada em julho passado, que na prática irá substituir a estrutura atual de quatro vigararias – Faro, Loulé, Portimão e Tavira – existente desde 27 de maio de 2007.

O encontro no dia 17 de setembro terá o seguinte programa:

09.30h – Acolhimento
10.00h – Oração de abertura dinamizada pelos jovens e posse dos Vigários e Chanceler
10.20h – Saudação de D. Manuel Neto Quintas, Bispo do Algarve
10.30h – Apresentação da Reestruturação da Pastoral Paroquial em chave Missionária
11.30h – Intervalo
12.00h – Intervenção do SDPJ/COD sobre a Jornada Mundial da Juventude 2023
12.15h – Apresentação do Ano Pastoral 2022/2023
12.45h – Exortação final de D. Manuel Neto Quintas
13.00h – Oração de Encerramento

A Diocese do Algarve acrescenta ainda que as paróquias, movimentos, comunidades de vida consagrada, entre outras realidades eclesiais deverão informar o número de participantes até ao dia 15 de setembro para o email dos Serviços de Pastoral (servicosdepastoral@diocese-algarve.pt).

 

 

Fonte: https://folhadodomingo.pt

Check Also

Só os humildes chegam a ser grandes

Muitos querem ser grandes, mas poucos se dispõem a fazer o que é necessário para …