Home | Liturgia Dominical | 3 de dezembro de 2017 – 1º Domingo do Advento – Ano B

3 de dezembro de 2017 – 1º Domingo do Advento – Ano B

LEITURA I – Is 63,16b-17.19b; 64,2b-7

Leitura do Livro de Isaías

Vós, Senhor, sois nosso Pai e nosso Redentor, desde sempre, é o vosso nome. Porque nos deixais, Senhor, desviar dos vossos caminhos e endurecer o nosso coração, para que não Vos tema? Voltai, por amor dos vossos servos e das tribos da vossa herança. Oh, se rasgásseis os céus e descêsseis! Ante a vossa face estremeceriam os montes! Mas Vós descestes e perante a vossa face estremeceram os montes. Nunca os ouvidos escutaram, nem os olhos viram que um Deus, além de Vós, fizesse tanto em favor dos que n’Ele esperam. Vós saís ao encontro dos que praticam a justiça e recordam os vossos caminhos. Estais indignado contra nós, porque pecámos e há muito que somos rebeldes, mas seremos salvos. Éramos todos como um ser impuro, as nossas acções justas eram todas como veste imunda. Todos nós caímos como folhas secas, as nossas faltas nos levavam como o vento. Ninguém invocava o vosso nome, ninguém se levantava para se apoiar em Vós, porque nos tínheis escondido o vosso rosto e nos deixáveis à mercê das nossas faltas. Vós, porém, Senhor, sois nosso Pai e nós o barro de que sois o Oleiro; somos todos obra das vossas mãos.

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL – Salmo 79 (80)

Refrão: Senhor nosso Deus, fazei-nos voltar,
mostrai-nos o vosso rosto e seremos salvos.

 

Pastor de Israel, escutai,
Vós que estais sentado sobre os Querubins, aparecei.
Despertai o vosso poder
e vinde em nosso auxílio.

Deus dos Exércitos, vinde de novo,
olhai dos céus e vede, visitai esta vinha.
Protegei a cepa que a vossa mão direita plantou,
o rebento que fortalecestes para Vós.

Estendei a mão sobre o homem que escolhestes,
sobre o filho do homem que para Vós criastes;
e não mais nos apartaremos de Vós:
fazei-nos viver e invocaremos o vosso nome.

LEITURA II – 1 Cor 1,3-9

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios

Irmãos: A graça e a paz vos sejam dadas da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. Dou graças a Deus, em todo o tempo, a vosso respeito, pela graça divina que vos foi dada em Cristo Jesus. Porque fostes enriquecidos em tudo: em toda a palavra e em todo o conhecimento; e deste modo, tornou-se firme em vós o testemunho de Cristo. De facto, já não vos falta nenhum dom da graça, a vós que esperais a manifestação de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele vos tornará firmes até ao fim, para que sejais irrepreensíveis no dia de Nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é Deus, por quem fostes chamados à comunhão com seu Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor.

Palavra do Senhor.

 

EVANGELHO – Mc 13,33-37

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Acautelai-vos e vigiai, porque não sabeis quando chegará o momento. Será como um homem que partiu de viagem: ao deixar a sua casa, deu plenos poderes aos seus servos, atribuindo a cada um a sua tarefa, e mandou ao porteiro que vigiasse. Vigiai, portanto, visto que não sabeis quando virá o dono da casa: se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se de manhãzinha; não se dê o caso que, vindo inesperadamente, vos encontre a dormir. O que vos digo a vós, digo-o a todos: Vigiai!”

Palavra da Salvação.

REFLEXÃO

Meus irmãos,
Inicia-se hoje um novo ano litúrgico com o tempo do Advento.
Jesus Cristo diz-nos “Acautelai-vos, estai alerta pois não sabeis quando é o momento”.
Está em foco a vigilância, sobre a nossa forma de estar perante Deus e a oração, pois que esta se trata duma conversa e duma intimidade que se pretende, cada vez mais profunda com o Senhor. Estas duas maneiras de se encontrar com o Senhor têm em si uma esperança, uma atitude de acolhimento a Deus o que significa conversão – vivência da nossa condição de filhos de Deus ( Jesus veio tornar-se nosso irmão e fazer-nos filhos de Deus) – e uma projeção para o futuro absoluto, ou promessas de outra vida.
Cristo na sua parábola fala-nos dum homem que partiu, mas antes de ir, atribuiu a cada um dos criados uma missão e mandou ao porteiro que vigiasse pois não se sabia a hora da chegada do dono da casa.
Estão aqui também presentes as “vindas do Senhor”. Há duas bem visíveis: na primeira o Senhor “apareceu na terra e conviveu com os homens” e na última diz-nos que todo o homem verá a salvação através de Deus e contemplará Aquele que trespassaram (Jesus Cristo).
A intermédia é oculta. Tal como os criados da parábola viviam como se o seu dono estivesse presente, pois não lhe conheciam, nem o dia, nem a hora da sua chegada e estavam a desempenhar uma missão.
No entanto estamos com o Senhor espiritualmente que nos manifesta o seu poder e a sua graça.
Estamos vigilantes, isto é, não adormecidos na missão que o Senhor nos atribuiu. “Vigiai e orai” repete o Senhor para que estejamos preparados a comparecer diante de Deus-Pai.
Assim este tempo de preparação para a celebração da vinda de Deus – Homem é também o primeiro e fundamental tempo de escolha. Escolha essa, que para todo o ser humano tem fase muito difíceis para que se mantenha fiel à escolha feita.
O tempo do Advento não é paragem, mas sim progresso, pois que deve haver da nossa parte uma vigilância atenta à missão que temos à nossa frente.
É bom interrogarmo-nos de como se concretiza a nossa própria vigilância. Em que altura a deixamos de lado? Ficai pois com este pensamento Pascal: “Consola-te (diz o Senhor) tu não me procurarias, se não Me tivesses já encontrado”.
Oremos e vigiemos as nossas faltas quotidianas vivendo em clima de conversão: pela alegria do Advento; pela Paz, dom de Deus; pela identificação da nossa vontade com a de Deus; pela necessidade da intensificação da nossa fé. Sempre reconfortados de que Jesus Cristo é o Bom Pastor, nosso Pai.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.

ORAÇÃO UNIVERSAL OU DOS FIÉIS

Irmãos e irmãs: Jesus acaba de nos dizer no Evangelho: “O que vos digo a vós, digo-o a todos: Vigiai”! Peçamos essa graça para nós e para o mundo inteiro, dizendo (ou: cantando), cheios de confiança:

R. Ouvi-nos, Senhor.
Ou: Cristo, ouvi-nos. Cristo, atendei-nos.
Ou: Senhor, venha a nós o vosso reino.

1. Pelas Igrejas e instituições da humanidade,
tentadas pela rotina dos mesmos gestos,
para que descubram os novos sinais que Deus lhes dá,
oremos, irmãos.

2. Pelos bispos, presbíteros, diáconos e fiéis,
enriquecidos em toda a palavra que vem de Cristo,
para que vivam a fé em plenitude,
oremos, irmãos.

3. Pelos homens que se desviam do verdadeiro caminho
e pelos que deixam endurecer o coração,
para que Deus rasgue os céus e Se lhes revele,
oremos, irmãos.

4. Por todos os que perderam a esperança
e por aqueles a quem ninguém serve de apoio,
para que Deus lhes mostre a salvação,
oremos, irmãos.

5. Pelos membros da nossa assembleia,
para que Deus seja o oleiro que os modela
com a sua Palavra e o seu Espírito,
oremos, irmãos.

(Outras intenções: grandes problemas mundiais; catecúmenos …).

Deus de bondade infinita, que sem cessar Vos lembrais do vosso povo e o visitais pelos vossos mensageiros, conservai-nos vigilantes e despertos para o dia da vinda do vosso Filho. Ele que vive e reina por todos os séculos dos séculos.

Check Also

19 de novembro de 2017 – 33º Domingo do Tempo Comum – Ano A

LEITURA I – Prov 31,10-13.19-20.30-31 Leitura do Livro dos Provérbios Quem poderá encontrar uma mulher …