21 de abril de 2024 – Liturgia do 4º Domingo da Páscoa | Domingo do Bom Pastor

LEITURA I At 4, 8-12

Leitura dos Atos dos Apóstolos

Naqueles dias, Pedro, cheio do Espírito Santo, disse-lhes: «Chefes do povo e anciãos, já que hoje somos interrogados sobre um benefício feito a um enfermo e o modo como ele foi curado, ficai sabendo todos vós e todo o povo de Israel: É em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, que vós crucificastes e Deus ressuscitou dos mortos, é por Ele que este homem se encontra perfeitamente curado na vossa presença. Jesus é a pedra que vós, os construtores, desprezastes e que veio a tornar-se pedra angular. E em nenhum outro há salvação, pois não existe debaixo do céu outro nome, dado aos homens, pelo qual possamos ser salvos».

Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Salmo 117 (118),1 e 8-9.21-23.26.28cd.29 (R. 22)

Refrão: A pedra que os construtores rejeitaram
tornou-se pedra angular.

Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom,
porque é eterna a sua misericórdia.
Mais vale refugiar-se no Senhor,
do que fiar-se nos homens.
Mais vale refugiar-se no Senhor,
do que fiar-se nos poderosos.

Eu Vos darei graças porque me ouvistes
e fostes o meu Salvador.
A pedra que os construtores rejeitaram
tornou-se pedra angular.
Tudo isto veio do Senhor:
é admirável aos nossos olhos.

Bendito o que vem em nome do Senhor,
da casa do Senhor nós Vos bendizemos.
Vós sois o meu Deus: eu Vos darei graças.
Vós sois o meu Deus: eu Vos exaltarei.
Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom,
porque é eterna a sua misericórdia.

 

LEITURA II 1Jo 3, 1-2

Leitura da primeira Epístola de são João

Caríssimos:
Vede que admirável amor o Pai nos consagrou em nos chamarmos filhos de Deus. E somo-lo de facto. Se o mundo não nos conhece, é porque não O conheceu a Ele. Caríssimos, agora somos filhos de Deus e ainda não se manifestou o que havemos de ser. Mas sabemos que, na altura em que se manifestar, seremos semelhantes a Deus, porque O veremos como Ele é.

Palavra do Senhor.

EVANGELHO Jo 10, 11-18

+  Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo são João

Naquele tempo, disse Jesus: «Eu sou o Bom Pastor. O bom pastor dá a vida pelas suas ovelhas. O mercenário, como não é pastor, nem são suas as ovelhas, logo que vê vir o lobo, deixa as ovelhas e foge, enquanto o lobo as arrebata e dispersa. O mercenário não se preocupa com as ovelhas. Eu sou o Bom Pastor: conheço as minhas ovelhas, e as minhas ovelhas conhecem-Me, do mesmo modo que o Pai Me conhece e Eu conheço o Pai; Eu dou a vida pelas minhas ovelhas. Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil e preciso de as reunir; elas ouvirão a minha voz e haverá um só rebanho e um só Pastor. Por isso o Pai Me ama: porque dou a minha vida, para poder retomá-la. Ninguém Ma tira, sou Eu que a dou espontaneamente. Tenho o poder de a dar e de a retomar: foi este o mandamento que recebi de meu Pai».

Palavra da salvação.

 

REFLEXÃO

O Quarto Domingo da Páscoa é chamado Domingo do Bom Pastor. Jesus Cristo é o único e verdadeiro Pastor que conhece intimamente o Pai e transmite esse conhecimento aos seus… Conhece, também, de perto, a condição humana e oferece a sua vida pela salvação de todos.

Porque veio para ser o “Bom Pastor” de todos os homens, que chama e cuida das suas ovelhas, Jesus Cristo quis que o seu ministério pastoral fosse prolongado no espaço e no tempo. Assim, na pessoa de Pedro e dos outros Apóstolos, Jesus põe à frente da sua Igreja o Papa e os Bispos, a fim de que, estando ao serviço dos irmãos, possam conduzi-los para o redil de Cristo. Com os bispos, e sob a sua autoridade, colaboram os presbíteros e os diáconos.

O Pastor conhece…

Tal como os pastores são artífices de atenção, sabem de olhares e paisagens únicos, distinguem os perfumes da terra e estão impregnados do odor do rebanho, escutam os silêncios e reconhecem a voz ímpar de cada uma das suas ovelhas…, também Jesus Cristo, o “Bom” e “Belo” Pastor, conhece cada uma das suas ovelhas: as alegrias e canseiras, os sonhos, as fragilidades e as esperanças…; e tem, com cada uma, uma relação pessoal e única, ama cada uma e apascenta-as com delicadeza e desvelo…

Por isso devemos fixar o nosso olhar em Jesus Cristo a pedra rejeitada mas que para nós, pela sua morte e ressurreição, se torna a pedra angular, a pedra base desse amor admirável que Deus tem por cada um de nós.

O Pastor dá a vida

O Deus de Jesus Cristo não se sente bem nos Céus, enquanto cada um dos seus filhos não estiver bem na terra. E, então, desce, envolve-se e faz-se dom, luta e alento…, faz-se amor até ao limite de arriscar tudo, dando a vida pelas suas ovelhas.

Ele não engana nem se aproveita do outro… A Ele não o move o interesse nem o comove o dinheiro. Ele não procura tratar da sua “vidinha” e depois, quando o lobo, “a dificuldade” ou o perigo espreita, abandona a missão… Gosta, tanto e de tal modo, daqueles que a Ele se confiam, que segue à sua frente arriscando e dando a vida, por um só que seja, mostrando-nos que só dando a vida é que podemos salvá-la.

É esta, desde sempre e para sempre, a obra de Deus: oferecer vida... É este o tesouro escondido e o mistério revelado: Deus vem para dar vida, a Sua Vida, e nos oferecer as coisas que fazem viver, o suplemento de vida que nos ajuda a bater os lobos que amam a morte…

Aceitar a vida que o Bom Pastor oferece e fazer da vida um dom ao pequeno rebanho confiado ao nosso coração: a família, os amigos, aqueles que confiam em nós, a comunidade…, é o segredo da verdadeira felicidade. Pois ninguém tem maior amor, do que aquele que dá a vida.

O Pastor conhece as ovelhas e elas seguem-no

Ele não ama multidões, mas ama “as suas”, cada uma pessoalmente. Aqueles a quem Jesus se dá, têm um nome, uma história, uma vida conhecida e partilhada por Jesus. Ele não é um Deus distante, demasiado grande e importante, para se ocupar das nossas insignificâncias. Mas, porque Ele é grande, a nossa vida, a vida de cada pessoa humana, não é uma coisa pequena, é algo de grande e digno de todo o seu amor… Ele preocupa-se connosco, porque somos seus. E, deste modo, podemos confiar-nos sem reservas aos seus braços, deixarmo-nos conduzir aos seus ombros, pois são braços de amor e ombros de ternura.

As minhas ovelhas escutam a minha voz

São tantas e infinitas as vozes que enchem a nossa vida: conselhos, pareceres, comentários, boatos… Temos sempre o sinal aberto, a rede ligada, os dados móveis ativados, a debitar constantemente informações… Mas será que escutamos a voz do Senhor? 

A atitude de escuta não é apenas atenção às palavras, é, sobretudo, um inclinar-se para o Outro e para os outros, disponibilizando-se para acolher o dito e o não dito, a palavra divina e o grito humano… Sem uma boa escuta, que faz conhecer, não pode haver uma boa resposta… Sem disponibilidade para ouvir não pode haver disponibilidade para responder e sair de si mesmo ao encontro dos outros…

A vocação é hoje

Neste Dia Mundial de Oração pelas Vocações é belo ter consciência de que como cristãos, somos parte essencial de um grande sonho de amor. Todos os dias e em cada dia, Jesus Cristo chama-nos à perfeição do amor do Pai; a fazer da nossa vida, um dom a Deus e um dom para os outros!

Não temos de esperar que sejamos perfeitos para Lhe dizer “Eis-me aqui”, nem assustar-nos com as nossas limitações e pecados, mas acolher a voz do Senhor, de coração aberto… E depois testemunhar aos outros a sua vida dada, o seu amor sem limites, a sua alegria de caminhar à nossa frente para que juntos formemos um só rebanho com um só pastor.

 

ORAÇÃO UNIVERSAL OU DOS FIÉIS 

Irmãos e irmãs:
Unidos aos cristãos de toda a terra, oremos a Jesus ressuscitado para que dê muitos pastores à sua Igreja, dizendo (ou: cantando), com alegria: R. Cristo, ouvi-nos. Cristo, atendei-nos.

Ou: Cristo ressuscitado, ouvi-nos.
Ou: Rei da glória, ouvi a nossa oração.

1. Para que o Papa, os bispos e os presbíteros
se dêem todos às ovelhas que apascentam
e aproximem aquelas que andam longe,
oremos.

2. Para que os responsáveis pelo governo das nações
sejam verdadeiros servidores dos outros homens,
na liberdade, na justiça e no respeito,
oremos.

3. Para que os jovens que o Bom Pastor chama a segui-l’O
saibam servir o seu rebanho como Ele serviu
e abrir os corações ao dom do Espírito,
oremos.

4. Para que os fiéis da nossa assembleia
sigam a Cristo com amor e fidelidade
e reconheçam que é Ele quem lhes fala,
oremos.

5. Para que os pastores que adormeceram no Senhor
sejam eternamente felizes junto de Cristo,
com os cristãos que eles guiaram para o Céu,
oremos.

(Outras intenções: vocações consagradas; defuntos da família paroquial …).

Senhor Jesus Cristo,
Bom Pastor, que nos chamais a ir convosco, dai fortaleza à nossa fé tão vacilante, abri os nossos ouvidos ao vosso apelo e reuni num só rebanho os que Vos seguem.
Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos.

Check Also

5 de maio de 2024 – Liturgia do 6º Domingo da Páscoa – Ano B

LEITURA I At 10, 25-26.34-35.44-48 Leitura dos Atos dos Apóstolos Naqueles dias, Pedro chegou a …

Sahifa Theme License is not validated, Go to the theme options page to validate the license, You need a single license for each domain name.