24 de outubro de 2021 – 30º Domingo do Tempo Comum – Ano B

O Evangelho que acabamos de ouvir relata-nos a passagem de Jesus pela cidade de Jericó e a cura dum cego chamado Bartimeu que estava sentado à beira do caminho pedindo esmola.

Percebendo que era Jesus que passava começou a gritar: “Jesus, Filho de David, tem piedade de mim!”  Esse homem que vivia na escuridão, mas sente ânsias de luz, de cura, compreendeu que aquela era a sua oportunidade. Jesus estava muito perto da sua vida. Por isso, embora o repreendessem e o mandassem calar, ele cada vez gritava mais alto. Não podia perder aquela ocasião. Que exemplo para a nossa vida! Cristo, que nunca deixa de estar ao alcance da nossa voz, da nossa oração, passa às vezes mais perto para nos proporcionar um encontro mais forte. Não podemos deixar que as graças passem como a chuva sobre a terra dura, temos que aproveitar essas graças. Temos que gritar para Jesus muitas vezes: “Jesus, Filho de David, tem piedade de mim!”

O cego depois de vencer o obstáculo dos que estavam à sua volta e o impediam de se aproximar de Jesus, conseguiu o que tanto desejava. Jesus mandou chamá-lo. Chamaram-no e disseram-lhe: “Tem confiança; levanta-te, Ele chama-te” e, lançando fora a capa, levantou-se dum salto e foi ter com Jesus.

O Senhor tinha-o ouvido já da primeira vez, mas quis que Bartimeu nos desse um exemplo de insistência na oração, de perseverança até chegar à presença do Senhor.

Começa então um diálogo maravilhoso que comove: “Que queres que te conceda?” e o cego responde que eu veja, Senhor! “Então Jesus diz-lhe: Vai, a tua fé te salvou”. Nesse mesmo instante começou a ver e seguiu-O pelo caminho. A resposta de Jesus salienta mais uma vez o que significa ver: É a fé autêntica que constitui a necessidade suprema para o discípulo seguir o caminho de Jesus.

Também na nossa vida o Senhor passa muitas vezes e espera de nós a mesma atitude do cego. Espera que demos o primeiro passo para um encontro com Ele, como esperou que Bartimeu Lhe saltasse ao caminho e procurasse falar-Lhe.

Como então, também agora precisamos de ter fé, o que implica aderir a Jesus e identificar-nos com Ele, procurando pautar a nossa vida pelos Seus ensinamentos.

Check Also

A morte dos outros e a minha

A morte aparece-nos sempre como algo distante. Não a tomamos como natural, pelo menos em …