21 de maio de 2023 -Liturgia da Solenidade da Ascensão do Senhor – Ano A

LEITURA I At 1, 1-11

Leitura dos Atos dos Apóstolos

No meu primeiro livro, ó Teófilo, narrei todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar, desde o princípio até ao dia em que foi elevado ao Céu, depois de ter dado, pelo Espírito Santo, as suas instruções aos Apóstolos que escolhera. Foi também a eles que, depois da sua paixão, Se apresentou vivo com muitas provas, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando-lhes do reino de Deus. Um dia em que estava com eles à mesa, mandou-lhes que não se afastassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, «da qual – disse Ele – Me ouvistes falar. Na verdade, João batizou com água; vós, porém, sereis batizados no Espírito Santo, dentro de poucos dias». Aqueles que se tinham reunido começaram a perguntar: «Senhor, é agora que vais restaurar o reino de Israel?». Ele respondeu-lhes: «Não vos compete saber os tempos ou os momentos que o Pai determinou com a sua autoridade; mas recebereis a força do Espírito Santo, que descerá sobre vós, e sereis minhas testemunhas em Jerusalém e em toda a Judeia e na Samaria, e até aos confins da terra». Dito isto, elevou-Se à vista deles, e uma nuvem escondeu-O a seus olhos. E estando de olhar fito no Céu, enquanto Jesus Se afastava, apresentaram-se-lhes dois homens vestidos de branco, que disseram: «Homens da Galileia, porque estais a olhar para o Céu? Esse Jesus, que do meio de vós foi elevado para o Céu, virá do mesmo modo que O vistes ir para o Céu».

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL Sl 46 (47), 2-3.6-7.8-9 (R. 6)

Refrão: Por entre aclamações e ao som da trombeta,
ergue-Se Deus, o Senhor.

Ou: Ergue-Se Deus, o Senhor,
em júbilo e ao som da trombeta.

Povos todos, batei palmas,
aclamai a Deus com brados de alegria,
porque o Senhor, o Altíssimo, é terrível,
o rei soberano de toda a terra.

Deus subiu entre aclamações,
o Senhor subiu ao som da trombeta.
Cantai hinos a Deus, cantai,
cantai hinos ao nosso rei, cantai.

Deus é rei do universo:
cantai os hinos mais belos.
Deus reina sobre os povos,
Deus está sentado no seu trono sagrado.

 

LEITURA II Ef 1, 17-23

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios

Irmãos:
O Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda um espírito de sabedoria e de revelação para O conhecerdes plenamente e ilumine os olhos do vosso coração, para compreenderdes a esperança a que fostes chamados, os tesouros de glória da sua herança entre os santos e a incomensurável grandeza do seu poder para nós os crentes. Assim o mostra a eficácia da poderosa força que exerceu em Cristo, que Ele ressuscitou dos mortos e colocou à sua direita nos Céus, acima de todo o Principado, Poder, Virtude e Soberania, acima de todo o nome que é pronunciado, não só neste mundo, mas também no mundo que há de vir. Tudo submeteu aos seus pés e pô-l’O acima de todas as coisas, como cabeça de toda a Igreja, que é o seu corpo, a plenitude d’Aquele que preenche tudo em todos.

Palavra do Senhor.

 

EVANGELHO Mt 28, 16-20

+ Conclusão do santo Evangelho segundo São Mateus.

Naquele tempo, os onze discípulos partiram para a Galileia, em direção ao monte que Jesus lhes indicara. Quando O viram, adoraram-n’O; mas alguns ainda duvidaram. Jesus aproximou-Se e disse-lhes: «Todo o poder Me foi dado no Céu e na terra. Ide e ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-as a cumprir tudo o que vos mandei. Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos».

Palavra da salvação.

 

REFLEXÃO

A Ascensão de Nosso Senhor é a nossa vitoria; por que Aquele, que é a nossa Cabeça, está já na Gloria do Céu. 

Eu estarei sempre convosco

Todos os Domingos rezamos, proclamando a nossa fé, que Jesus Cristo “Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos Céus, onde está sentado à direita do Pai”. Hoje celebramos esta verdade, que consuma a Pascoa do Senhor. Os textos da Sagrada Escritura falam-nos da glorificação de Jesus junto do Pai. O Evangelho de S. Mateus recolhe a aparição de Jesus num monte da Galileia, antes da sua ascensão, que terá lugar nas proximidades de Jerusalém. O Papa Francisco perguntava, numa ocasião, porquê Nosso Senhor pede aos discípulos que vão até a Galileia para ali lhes aparecer, sendo que estavam em Jerusalém e seria na cidade santa a derradeira despedida. O próprio Papa Francisco responde que Nosso Senhor queria que voltassem ao lugar do primeiro encontro com Jesus, onde tudo começou, para assim regressar ao inicio da sua vocação, e desde essas raízes desenvolver a missão apostólica que haveriam de levar a cabo.

Também nós podemos hoje voltar “à Galileia”, ao início da nossa vocação cristã, ao nosso batismo. Foi esse o momento em que Deus tomou conta de nós, recebendo-nos como filhos, e entregando-nos o Espírito Santo para que colaborássemos com Ele na nossa própria santificação e na missão apostólica a que fomos chamados.

A aparição na Galileia inclui uma promessa maravilhosa que é o fundamento da alegria e a esperança cristã: “Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos”. O Papa emérito, Bento XVI, no livro Jesus de Nazaré, afirma que é essa promessa, que explica a alegria dos apóstolos quando Jesus vai para o Pai e “uma nuvem escondeu-O a seus olhos”. O normal seria ficar tristes, mas percebem que Jesus estará agora junto deles de um modo novo e poderoso. A nuvem que envolve e oculta o Senhor é uma presença sensível de Deus e um sinal da entrada de Jesus numa dimensão nova do ser. É o modo de ser próprio de Deus, que não tem dimensão espacial, mas que se relaciona como Deus e Criador com todo o que tem espaço. Como Jesus está junto do Pai, não está longe, mas sim perto de nós. “Agora”, diz Bento XVI, “já não se encontra num único lugar no mundo, como antes da «ascensão»; com o seu poder supera todo o espaço, Ele não esta agora num único lugar, mas está presente junto de todos, e todos O podem invocar em todo lugar e ao longo da história”.

Jesus esta connosco, e está para ajudar-nos a “ascender” até ao Céu: “Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fosse, como teria dito Eu que vos vou preparar um lugar? E quando Eu tiver ido e vos tiver preparado lugar, virei novamente e hei-de levar-vos para junto de mim, a fim de que, onde Eu estou, vós estejais também” (Jo. 14, 2). Todos os dias podemos subir um pouco, espiritualmente, com a ajuda do Senhor e pela graça do Espírito Santo que habita em nós. Cada dia podemos ser um pouco mais cristãos, mais parecidos com Cristo na sua livre obediência ao Pai, melhores trabalhadores, um pouco mais pacientes e caridosos, menos dependentes das coisas materiais…As mil pequenas coisas que compõem nossos dias são pequenos degraus que, com a ajuda da graça, podemos “ascender” no caminho da santidade que conduz ao Céu.

 

Ide e ensinai todas as nações

No relato da Ascensão do Senhor que nos deixou S. Lucas nos Atos dos Apóstolos, Jesus mantém um diálogo, quando “estava com eles à mesa”, que contém uma promessa e uma missão. A missão é aparentemente desproporcionada, uma “missão impossível” para aqueles homens e mulheres, limitados como nós, que escutaram as suas palavras: “sereis minhas testemunhas em Jerusalém e em toda a Judeia e na Samaria, e até aos confins da terra”.

O Senhor deve ter contemplado os rostos espantados dos seus ouvintes, e por isso não só lhes recordaria o que já anunciara, na Galileia, sobre a sua nova presença junto deles até ao fim dos tempos, mas faz uma nova promessa: “mandou-lhes que não se afastassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, «da qual – disse Ele – Me ouvistes falar. Na verdade, João batizou com água; vós, porém, sereis batizados no Espírito Santo dentro de poucos dias” e acrescenta ainda “recebereis a força do Espírito Santo, que descerá sobre vós”. Jesus e o Espírito Santo estarão com eles, permanentemente, com o poder divino que os transformará. Só assim se explica que “menos de trezentos anos depois, uma grande parte do mundo romano tinha-se convertido ao cristianismo. A doutrina do crucificado vencera as perseguições dos poderosos, o desprezo dos sábios, a resistência a umas exigências morais que contrariavam as paixões. E, apesar dos vaivéns da história, ainda hoje o cristianismo continua sendo a maior força espiritual da humanidade” (B. Álvaro del Portillo, Sal, luz e fermento, Diel, 1999).

Também nós somos enviados, o Cristianismo é uma missão que recebemos no batismo e o Espírito Santo e Jesus estão connosco. Cada geração de cristãos está chamada a evangelizar os seus contemporâneos. Cada um de nós é um comunicador da alegre notícia que nos tornou felices e deu sentido às nossas vidas. Não tenhamos receio, nem olhemos para as nossas limitações, defeitos e pecados. Não somos nós que evangelizamos, mas o Espírito Santo, Artista divino, que se serve de nós como instrumentos. Não esqueçamos que a obra de arte não depende do instrumento, mas do Artista. Um bom pintor pode fazer uma obra de arte com um pincel da melhor qualidade ou com um pedaço de carvão. Basta que o instrumento seja manejável.

Procuremos colocar ao serviço do Senhor a nossa própria pessoa e, na medida que pudermos, os meios de comunicação social, tão influentes hoje em dia, para levar aos homens a Noticia que todos esperam, muitos sem o saber, e que os anjos anunciaram aos pastores “Não temais, pois anuncio-vos uma grande alegria, que o será para todo o povo: Hoje, na cidade de David, nasceu-vos um Salvador, que é o Messias Senhor”. Noticia que se completa com aquela que receberam, também por palavras angélicas, as santas mulheres junto do túmulo do Ressuscitado: “«Não tenhais medo. Sei que buscais Jesus, o crucificado; não está aqui, pois ressuscitou, como tinha dito. Vinde, vede o lugar onde jazia e ide depressa dizer aos seus discípulos: «Ele ressuscitou dos mortos»”.

 

ORAÇÃO UNIVERSAL OU DOS FIÉIS 

Caríssimos fiéis:
Por Jesus Cristo, nosso único Mediador,
que subiu hoje ao Céu sem deixar de estar connosco na terra, elevemos ao Pai celeste as nossas súplicas, dizendo (ou: cantando), com alegria:

R. Cristo, elevado ao Céu, ouvi-nos.
Ou: Cristo, ouvi-nos. Cristo, atendei-nos.
Ou: Mediador dos homens, escutai-nos.

1. Pelas Igrejas do Oriente e do Ocidente, do Norte e do Sul,
para que sejam fiéis à missão que receberam
de anunciar a Palavra em toda a terra,
oremos.

2. Pelo Papa N., pelos bispos, presbíteros e diáconos,
para que sintam que Jesus está com eles
quando ensinam e baptizam em seu nome,
oremos.

3. Pelos que buscam a Deus olhando o Céu,
para que O reconheçam também presente na terra,
nos mais pobres, nos que choram ou estão sós,
oremos.

4. Por aqueles que não conhecem a Cristo,
para que a luz da fé os ilumine
e recebam o Baptismo no Espírito Santo,
oremos.

5. Por todos nós aqui reunidos em assembleia,
para que Deus nos chame um dia a contemplar
o seu Filho Jesus Cristo na glória eterna,
oremos.

(Outras intenções: meios de comunicação social; jornalistas …).

O uvi, Senhor, as nossas súplicas
e fazei que os nossos corações se voltem para Aquele que, neste dia, subiu ao Céu e entrou na vossa glória, de onde constantemente nos atrai.
Ele que vive e reina por todos os séculos dos séculos.

 

Check Also

26 de maio de 2024 – Liturgia da Solenidade da Santíssima Trindade – Ano B

LEITURA I Dt 4, 32-34.39-40 Leitura do Livro do Deuteronómio Moisés falou ao povo, dizendo:  …

Sahifa Theme License is not validated, Go to the theme options page to validate the license, You need a single license for each domain name.