Igrejas cristãs algarvias voltam a rezar juntas pela unidade

Os cristãos católicos e greco-católicos, evangélicos, anglicanos e luteranos residentes no Algarve vão voltar a rezar juntos, no dia 21 deste mês, pela unidade das suas Igrejas, associando-se assim à Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos que anualmente é celebrada, no hemisfério norte, entre 18 e 25 de janeiro.

No Algarve, a iniciativa – organizada pelo Secretariado para o Diálogo Ecuménico e Inter-religioso da diocese algarvia em parceria com as restantes Igrejas e com a colaboração com o Movimento dos Focolares – volta a ter lugar (após três anos em que não se realizou por causa da pandemia) na igreja de São Francisco, em Faro, pelas 16h, com a participação de representantes de cada uma. A Igreja Católica será representada pelo cónego Rui Barros Guerreiro.

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que começou na quarta-feira, tem como tema “Aprendei a fazer o bem e procurai a justiça”, retirado do livro do profeta Isaías, alerta para as questões do racismo e da discriminação.

Os materiais da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2023 começaram a ser preparados por um grupo de trabalho, que articulou as leituras da Escritura, temas, músicas e celebrações, indicado pelo Conselho de Igrejas de Minnesota (EUA), “mais orientado a tratar desses históricos padrões raciais”. “O grupo de trabalho incluiu clérigos de várias gerações de Minnesota e lideranças leigas que trabalham na linha da frente destas temáticas. Os membros do grupo de redação do Minnesota esperam que suas experiências pessoais de racismo e desvalorização de seres humanos sirvam como testemunho da desumanidade dos filhos de Deus uns para com os outros”, lê-se no subsídio.

Os subsídios preparados e publicados em conjunto pelo Dicastério para a Promoção da Unidade dos Cristãos (Santa Sé) e pelo Conselho Mundial de Igrejas podem ser descarregados no sítio online do organismo do Vaticano.

O ‘oitavário pela unidade da Igreja’, hoje com outra denominação, começou a ser celebrado em 1908, por iniciativa do norte-americano Paul Wattson, presbítero anglicano que mais tarde se converteu ao catolicismo.

O ecumenismo é o conjunto de iniciativas e atividades tendentes a favorecer o regresso à unidade dos cristãos, quebrada no passado por cismas e ruturas.

As principais divisões entre as Igrejas cristãs ocorreram no século V, depois dos Concílios de Éfeso e de Calcedónia (Igreja copta, do Egito, entre outras); no século XI com a cisão entre o Ocidente e o Oriente (Igrejas Ortodoxas); no século XVI, com a Reforma Protestante e, posteriormente, a separação da Igreja de Inglaterra (Anglicana).

com Agência Ecclesia

 

Fonte: https://folhadodomingo.pt

Check Also

Vaticano: Mensagem para a Vida Consagrada centra-se na missão e incentiva a «alargar a tenda»

Cardeal D. João Braz de Aviz vai presidir à Missa do dia 2 de fevereiro …