Home | Noticias | Igreja/Portugal: Um milhão e meio de desdobráveis para ajudar no debate sobre a eutanásia

Igreja/Portugal: Um milhão e meio de desdobráveis para ajudar no debate sobre a eutanásia

Secretário da Conferência Episcopal Portuguesa defende que questão «não é confessional ou religiosa», mas de humanidade

 

Fátima, 08 Mai 2018 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) promoveu a distribuição de mais de um milhão e meio de exemplares do folheto explicativo com que pretende ajudar no debate atualmente em curso sobre a legalização da eutanásia.

A informação foi avançada hoje, em conferência de imprensa, pelo secretário da CEP, após a reunião mensal do Conselho Permanente do organismo episcopal.

De acordo com o padre Manuel Barbosa, a publicação deste folheto foi feita “em grande escala”, com um conjunto de perguntas e respostas.

A 29 de maio vão ser discutidos na Assembleia da República quatro projetos-lei relacionados com a legalização da eutanásia.

Para o mesmo dia está convocada uma manifestação de vários movimentos contrários à legalização da Eutanásia, como a Federação Portuguesa pela Vida.

Uma iniciativa onde “a Igreja também estará presente, através das suas instituições e associações laicais”, salientou o secretário da CEP.

Os bispos portugueses esperam que a Semana da Vida, assinalada entre 13 e 20 de maio, se afirme como mais um passo no reforço da dignidade de toda a vida humana, neste caso com enfoque especial na temática da eutanásia.

O secretário da CEP salientou que a posição que a Igreja Católica tem assumido, contra a eutanásia, “não é uma questão confessional ou religiosa, mas sim de humanidade”.

Em declarações aos jornalistas, o padre Manuel Barbosa realçou que a luta pela vida, em todas as suas fases, “é uma temática de sempre” na Igreja Católica, e que esta a continuará a fazer, “com todos os meios e com toda a convicção”, até porque ela está salvaguardada também “na Constituição da República”.

“O tema da eutanásia é feliz, nesta Semana da Vida, mas engloba-se na defesa da vida como um todo, e a eutanásia é um dos elementos que devemos combater para que a vida seja defendida. A vida humana é inviolável, e a Constituição é muito clarinha nesse sentido”, reforçou.

A Semana da Vida 2018, organizada pela Comissão Episcopal do Laicado e Família, tem como tema ‘Eutanásia… O que está em jogo?’.

As propostas de abordagem a esta semana partem de uma interpelação do Papa Francisco relacionada com as ‘novas interrogações’ que a eutanásia levanta quanto ao ‘sentido da vida humana’.

“Voltamos à problemática da Eutanásia, que envolve a ética, a medicina, o direito, a filosofia, a religião… e onde se ‘misturam’ experiências pessoais e familiares”, refere o guião da celebração, preparado pelo DNPF.

Os responsáveis pela iniciativa consideraram importante retomar o documento publicado pela Conferência Episcopal Portuguesa em 2016, ‘Eutanásia: o que está em jogo? Contributos para um diálogo sereno e humanizador’, a fim de “aprofundar o que está em causa, distinguir conceitos, conhecer mais claramente o que a Igreja defende e propõe”.

“Também para nos deixarmos questionar por uma e outra posição, e testemunhar Aquele que pode libertar-nos, oferecendo-nos uma Luz que nos descubra a nós mesmos um sentido capaz de tornar boa a nossa vida e digna de ser vivida”, pode ler-se, no texto de apresentação da iniciativa anual.

O guião, disponível no sítio online leigos.pt/, foi preparado para promover momentos pessoais e comuns de reflexão, interioridade e partilha com sugestões para a Eucaristia e a meditação dos Mistérios do Rosário.

“A nossa vida vem de Deus e é chamada a elevar-se eternamente, em Deus, com os sinais/chagas de todas as dores e todas as mortes”, assinala o DNPF.

JCP/OC

Check Also

20 de maio de 2018 – Solenidade de Domingo de Pentecostes – Ano B

A solenidade do Pentecostes coloca diante de nós uma série de verdades que enchem a …

Privacy Preference Center

Close your account?

Your account will be closed and all data will be permanently deleted and cannot be recovered. Are you sure?