25 de abril de 2021- Liturgia do 4º Domingo da Páscoa- Domingo do Bom Pastor

LEITURA I Actos 4, 8-12

Leitura dos Actos dos Apóstolos

Naqueles dias, Pedro, cheio do Espírito Santo, disse-lhes: «Chefes do povo e anciãos, já que hoje somos interrogados
sobre um benefício feito a um enfermo e o modo como ele foi curado, ficai sabendo todos vós e todo o povo de Israel:
É em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, que vós crucificastes e Deus ressuscitou dos mortos, é por Ele que este homem se encontra perfeitamente curado na vossa presença. Jesus é a pedra que vós, os construtores, desprezastes
e que veio a tornar-se pedra angular. E em nenhum outro há salvação, pois não existe debaixo do céu outro nome, dado aos homens, pelo qual possamos ser salvos».

Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Salmo 117 (118),1 e 8-9.21-23.26.28cd.29 (R. 22)

Refrão: A pedra que os construtores rejeitaram
tornou-se pedra angular.

 

Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom,
porque é eterna a sua misericórdia.
Mais vale refugiar-se no Senhor,
do que fiar-se nos homens.
Mais vale refugiar-se no Senhor,
do que fiar-se nos poderosos.

 

Eu Vos darei graças porque me ouvistes
e fostes o meu Salvador.
A pedra que os construtores rejeitaram
tornou-se pedra angular.
Tudo isto veio do Senhor:
é admirável aos nossos olhos.

 

Bendito o que vem em nome do Senhor,
da casa do Senhor nós Vos bendizemos.
Vós sois o meu Deus: eu Vos darei graças.
Vós sois o meu Deus: eu Vos exaltarei.
Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom,
porque é eterna a sua misericórdia.

 

LEITURA II 1 Jo 3, 1-2

Leitura da primeira Epístola de São João

Caríssimos: Vede que admirável amor o Pai nos consagrou em nos chamarmos filhos de Deus. E somo-lo de facto.
Se o mundo não nos conhece, é porque não O conheceu a Ele. Caríssimos, agora somos filhos de Deus e ainda não se manifestou o que havemos de ser. Mas sabemos que, na altura em que se manifestar, seremos semelhantes a Deus,
porque O veremos como Ele é.

Palavra do Senhor.

 

EVANGELHO Jo 10, 11-18

+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, disse Jesus: «Eu sou o Bom Pastor. O bom pastor dá a vida pelas suas ovelhas. O mercenário, como não é pastor, nem são suas as ovelhas, logo que vê vir o lobo, deixa as ovelhas e foge, enquanto o lobo as arrebata e dispersa. O mercenário não se preocupa com as ovelhas. Eu sou o Bom Pastor: conheço as minhas ovelhas, e as minhas ovelhas conhecem-Me, do mesmo modo que o Pai Me conhece e Eu conheço o Pai; Eu dou a vida pelas minhas ovelhas. Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil e preciso de as reunir; elas ouvirão a minha voz
e haverá um só rebanho e um só Pastor. Por isso o Pai Me ama: porque dou a minha vida, para poder retomá-la.
Ninguém Ma tira, sou Eu que a dou espontaneamente. Tenho o poder de a dar e de a retomar: foi este o mandamento que recebi de meu Pai».

Palavra da salvação.

 

Reflexão: 

Celebramos hoje o Domingo do Bom Pastor — chamado assim porque nos três anos litúrgicos o Evangelho é sempre o do Bom Pastor.

1. O dom do sacerdócio ministerial

No sacerdote actua Cristo Jesus. «Pedro, cheio do Espírito Santo, disse-lhes: «Chefes do povo e anciãos, já que hoje somos interrogados sobre um benefício feito a um enfermo e o modo como ele foi curado, ficai sabendo todos vós e todo o povo de Israel: É em nome de Jesus Cristo, o Nazareno […] que este homem se encontra perfeitamente curado na vossa presença

Pedro explica aos judeus que foi Jesus Quem, ao fim e ao cabo, curou o coxo de nascença à porta do Templo. Não foi a ciência, a habilidade ou o poder do Príncipe dos Apóstolos quem restituiu o andar a esta homem   O Senhor Jesus actua na Igreja e torna-Se visível por meio dos que chama ao ministério do sacerdócio ministerial.

Têm como missão específica anunciar oficialmente a Palavra de Deus, perdoar os pecados no Sacramento da Reconciliação e consagrar o pão e o vinho, transubstanciando-os no Corpo e Sangue de Jesus Cristo, como aconteceu na Última Ceia.

Para que não ficássemos com qualquer dúvida sobre a validade destes gestos e palavras, Jesus só quis uma condição: que o sacerdote esteja validamente ordenado. Pela imposição das mãos do Bispo, o sacerdote recebe o Espírito Santo que o capacita para realizar estas maravilhas.

Quer dizer que a validade da absolvição sacramental e da consagração não dependem da ciência, condição social ou virtude daquele homem que foi assumido pelo Sacramento da Ordem a tornar-se instrumento de Jesus Cristo.

Se por um lado se garante a validade das actuações ministeriais do sacerdote, não pode ser descurada a sua preparação e vida, para que actue com liceidade, isto é, segundo o agrado do Divino Mestre.

O sacerdote é um fiel que vai também a caminho do Céu e que tem necessidade de ajuda para vencer as lutas de cada dia.

2. A missão do sacerdote

Dar a Vida sobrenatural. «disse Jesus. “Eu sou o Bom Pastor. O bom pastor dá a vida pelas suas ovelhas. O mercenário, como não é pastor, nem são suas as ovelhas, logo que vê vir o lobo, deixa as ovelhas e foge, enquanto o lobo as arrebata e dispersa.”»

Identifica-se com a de Jesus: «Eu vim para que os homens tenham vida e a tenham em abundância.» A vida a que Jesus Se refere é a graça santificante, a vida de Cristo Ressuscitado.

A graça santificante é a participação da natureza divina na criatura racional. A vida natural — a que anima o nosso corpo — extingue-se com a morte. Enquanto dura esta vida na terra, temos a possibilidade e oportunidade de aumentar sempre os merecimentos para a felicidade terna.

Cristo deu-Se-nos no Sacrifício da Cruz, misteriosamente antecipado na Eucaristia. Do Seu lado aberto jorrou Sangue e água, lembrando dois Sacramentos: a Eucaristia e o Baptismo.

Recebemos esta vida sobrenatural no Baptismo e podemos perdê-la, se cometemos um pecado mortal; mas podemos readquiri-la no Sacramento da Reconciliação e Penitência.

Têm-na os fieis, fomentam-na e oferecem-lhe as condições mínimas de vida?

• Devemos procurar a ajuda do sacerdote para aquilo que é próprio e fundamental na sua missão. É possível que ele saiba fazer muitas coisas; mas enquanto faz o que não lhe é devido e outros podem fazer, fica por fazer aquilo para que só ele tem capacidade.

• O nosso apostolado com que desejamos ajudar as outras pessoas dá o último passo quando põe essa pessoa em contacto com o sacerdote, para que lhe administre o sacramento que lhe dá pela primeira vez ou lhe restitui a vida da graça: o Baptismo ou a Confissão Sacramental.

• Somos ao mesmo tempo ovelhas e pastores, pois o Senhor fez-nos pastores uns dos outros.

Somos mercenários se, por medo de passar um mau bocado, de sermos humanamente ineficazes, ou por causa do amor a uma falsa imagem de simpatia, deixamos de corrigir as pessoas que nos estão confiadas: os pais são pastores dos filhos; pastores são os que têm qualquer responsabilidade educativa; por fim, somos pastores do irmão que vive ao nosso lado.

 

 

Oração Universal ou dos Fiéis 

 

Irmãos e irmãs:
Unidos aos cristãos de toda a terra, oremos a Jesus ressuscitado para que dê muitos pastores à sua Igreja, dizendo (ou: cantando), com alegria:

R. Cristo, ouvi-nos. Cristo, atendei-nos.
Ou: Cristo ressuscitado, ouvi-nos.
Ou: Rei da glória, ouvi a nossa oração.

 

1. Para que o Papa, os bispos e os presbíteros
se dêem todos às ovelhas que apascentam
e aproximem aquelas que andam longe,
oremos.

2. Para que os responsáveis pelo governo das nações
sejam verdadeiros servidores dos outros homens,
na liberdade, na justiça e no respeito,
oremos.

3. Para que os jovens que o Bom Pastor chama a segui-l’O
saibam servir o seu rebanho como Ele serviu
e abrir os corações ao dom do Espírito,
oremos.

4. Para que os fiéis da nossa assembleia
sigam a Cristo com amor e fidelidade
e reconheçam que é Ele quem lhes fala,
oremos.

5. Para que os pastores que adormeceram no Senhor
sejam eternamente felizes junto de Cristo,
com os cristãos que eles guiaram para o Céu,
oremos.

(Outras intenções: vocações consagradas; defuntos da família paroquial …).

Senhor Jesus Cristo,
Bom Pastor, que nos chamais a ir convosco, dai fortaleza à nossa fé tão vacilante, abri os nossos ouvidos ao vosso apelo e reuni num só rebanho os que Vos seguem.
Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos.

Check Also

18 de abril de 2021 -Liturgia do 3º Domingo da Páscoa -Ano B

LEITURA I Actos 3, 13-15.17-19 Leitura dos Actos dos Apóstolos Naqueles dias, Pedro disse ao …