17 de março de 2024 – Liturgia do 5º Domingo da Quaresma – Ano B

LEITURA I Jr 31, 31-34

Leitura do Livro de Jeremias

Dias virão, diz o Senhor, em que estabelecerei com a casa de Israel e com a casa de Judá uma aliança nova. Não será como a aliança que firmei com os seus pais, no dia em que os tomei pela mão para os tirar da terra do Egito,
aliança que eles violaram, embora Eu tivesse domínio sobre eles, diz o Senhor. Esta é a aliança que estabelecerei com a casa de Israel, naqueles dias, diz o Senhor: Hei de imprimir a minha lei no íntimo da sua alma e gravá-la-ei no seu coração. Eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Já não terão de se instruir uns aos outros, nem de dizer cada um a seu irmão: «Aprendei a conhecer o Senhor». Todos eles Me conhecerão, desde o maior ao mais pequeno, diz o Senhor. Porque vou perdoar os seus pecados e não mais recordarei as suas faltas.

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL Salmo 50 (51), 3-4.12-13.14-15 (R. 12a)

Refrão: Dai-me, Senhor, um coração puro.

Compadecei-Vos de mim, ó Deus, pela vossa bondade,
pela vossa grande misericórdia, apagai os meus pecados.
Lavai-me de toda a iniquidade
e purificai-me de todas as faltas.

Criai em mim, ó Deus, um coração puro
e fazei nascer dentro de mim um espírito firme.
Não queirais repelir-me da vossa presença
e não retireis de mim o vosso espírito de santidade.

Dai-me de novo a alegria da vossa salvação
e sustentai-me com espírito generoso.
Ensinarei aos pecadores os vossos caminhos,
e os transviados hão de voltar para Vós.

 

LEITURA II Heb 5, 7-9

Leitura da Epístola aos Hebreus

Nos dias da sua vida mortal, Cristo dirigiu preces e súplicas, com grandes clamores e lágrimas, Àquele que O podia livrar da morte, e foi atendido por causa da sua piedade. Apesar de ser Filho, aprendeu a obediência no sofrimento e, tendo atingido a sua plenitude, tornou-Se para todos os que Lhe obedecem causa de salvação eterna.

Palavra do Senhor.

 

EVANGELHO Jo 12, 20-33

+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo são João

Naquele tempo, alguns gregos que tinham vindo a Jerusalém para adorar nos dias da festa, foram ter com Filipe, de Betsaida da Galileia, e fizeram-lhe este pedido: «Senhor, nós queríamos ver Jesus». Filipe foi dizê-lo a André;
e então André e Filipe foram dizê-lo a Jesus. Jesus respondeu-lhes: «Chegou a hora em que o Filho do homem vai ser glorificado. Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo, lançado à terra, não morrer, fica só; mas se morrer, dará muito fruto. Quem ama a sua vida, perdê-la-á, e quem despreza a sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. Se alguém Me quiser servir, que Me siga, e onde Eu estiver, ali estará também o meu servo. E se alguém Me servir, meu Pai o honrará. Agora a minha alma está perturbada. E que hei de dizer? Pai, salva-Me desta hora? Mas por causa disto é que Eu cheguei a esta hora. Pai, glorifica o teu nome». Veio então do Céu uma voz que dizia: «Já O glorifiquei e tornarei a glorificá-l’O». A multidão que estava presente e ouvira dizia ter sido um trovão. Outros afirmavam: «Foi um Anjo que Lhe falou». Disse Jesus: «Não foi por minha causa que esta voz se fez ouvir; foi por vossa causa. Chegou a hora em que este mundo vai ser julgado. Chegou a hora em que vai ser expulso o príncipe deste mundo. E quando Eu for elevado da terra, atrairei todos a Mim».
Falava deste modo, para indicar de que morte ia morrer.

Palavra da salvação.

 

REFLEXÃO

1. Dai-me, Senhor, um coração puro

Para que isso aconteça o Senhor propõe-nos, através do profeta Jeremias (1ª leitura), uma nova aliança. Ele quer imprimir a Sua Lei e preceitos no nosso coração e não em tábuas de pedra ou em rolos de papel. Ou seja, Deus quer que a sua Lei esteja onde nascem os pensamentos, onde se definem os valores, se decidem as ações e se assumem responsabilidades. Ele não quer que volte a acontecer connosco o que aconteceu com o povo da Aliança do Sinai que aderiu à aliança mas mais com a boca do que com o coração e por isso depressa a esqueceu e continuou a trilhar caminhos de infidelidade, de injustiça, de auto suficiência, de pecado.

Só com um coração puro, continua o profeta, tocado, purificado e transformado pela graça do Amor e da misericórdia de Deus, o crente poderá viver na fidelidade à Aliança, na obediência aos mandamentos e no respeito pela lei. Só assim ele será capaz de amar porque foi amado e perdoado por Deus.

Desafio: pede ao Senhor, como o salmista: dai-me, Senhor, um coração puro… e fazei nascer dentro de mim um espírito firme; acolhe e deixa-te transformar pelo dom de Deus; renuncia ao egoísmo e a esses caminhos de recusa e indiferença para que possas testemunhar a vida de Deus nos gestos simples do dia a dia.

 

2. Chegou a hora de ver para ser grão de trigo

O projeto de uma nova Aliança entre Deus e o seu povo concretiza-se em Jesus quando, chegou a hora em que o Filho do Homem foi glorificadoE, elevado na cruz, atraiu todos a si, deixando-se morrer na terra, como o grão de trigo para explodir em colheita abundante (Evangelho).

O episódio deu-se poucos dias antes dos acontecimentos da última Páscoa de Jesus. Há um grupo de gregos simpatizantes do judaísmo, que se encontra em Jerusalém para as festas pascais e adorar a Deus no templo. Mas eles desejam mais: querem ver Jesus, encontrar-se com Ele, conhecer o Seu projeto, tomar contacto com a proposta de Salvação que Ele veio oferecer, e, até quem sabe, acreditar nas Suas palavras, na vida renovada que Ele propõe e convida a abraçar. Filipe e André fazem chegar este pedido ao Mestre.

A resposta de Jesus à primeira vista é desconcertante: perante os pagãos que queriam conhecê-l’O, Jesus anuncia a sua morte. Jesus fala de si, fala dos seus clamores e lágrimas que ninguém vê, da Sua entrega iminente, fala da sua obra e do fim da Sua missão. E acrescenta: se quereis ver-me, olhai o grão de trigo… Se quereis compreender-me, olhai a cruz, porque, quando eu for elevado da terra, atrairei todos a mim.

Duas imagens, o grão de trigo e a cruz. É esta a autoapresentação de Jesus. É aí, nessa anulação que Jesus vê frutificar a abundância da Vida Nova. É crucificado que Jesus é elevado. E é na cruz que Ele se dá a ver, atraindo todos a si. Pois daí Ele lança o seu olhar à terra infértil dos nossos corações para torná-la fecunda e quebrar todas as durezas que impedem o germinar da graça e do amor. Dali ele nos olha e diz: confiança; Quem é totalmente livre do medo, quem se esquece dos seus interesses e seguranças, quem se compromete com a luta pela justiça, pela dignidade e liberdade do homem, quem ama tanto os outros que entrega a sua vida por eles, esse dará frutos de vida e viverá uma vida plena, quem nem a morte calará.

Desafio: “Queremos ver Jesus”, é o desejo que muitos homens e mulheres têm no íntimo do seu coração. A quem irão, para que os levem a Jesus? Podemos nós levar alguém a Jesus? Se alguém se aproxima de mim, descobre o rosto de um Deus capaz de dar a vida pela ovelha perdida? Capaz de se fazer próximo para cuidar e acompanhar, como o samaritano?

 

ORAÇÃO UNIVERSAL  OU DOS FIÉIS | DOMINGO V DA QUARESMA |

Quando não se faz o terceiro escrutínio dos catecúmenos

Caríssimos irmãos e irmãs:
Oremos a Deus, nosso Pai,
que gravou a sua lei no íntimo dos corações, e peçamos-Lhe a graça de O conhecer sempre melhor, dizendo (ou: cantando), com alegria:

R. Ouvi-nos, Senhor.
Ou: Ouvi, Senhor, as nossas súplicas.
Ou: Senhor, tende piedade de nós.

1. Pelos bispos, presbíteros, diáconos e catequistas,
para que falem aos homens do amor que Deus lhes tem
e da esperança pascal que o seu Filho trouxe ao mundo,
oremos.

2. Por todos os povos da terra,
para que vivam em paz e se desenvolvam,
na justiça, no respeito e na compreensão mútua,
oremos.

3. Por todos aqueles que desejam ver Jesus,
para que os cristãos os levem até Ele
pela forma como vivem o Evangelho,
oremos.

4. Pelos que trabalham e se cansam pelos outros,
para que recordem sempre que o grão lançado à terra,
morrendo, produz fruto abundante,
oremos.

5. Pelos fiéis da nossa comunidade (paroquial),
para que sigam a Cristo e O sirvam
nos mais pobres, nos doentes e nos que sofrem,
oremos.

(Outras intenções: acontecimentos nacionais importantes; defuntos …).

 

Deus, nosso Pai,
escutai aqueles por quem o vosso Filho aceitou cair na terra e morrer e fazei brotar em nossos corações o desejo de seguirmos os seus passos.
Por Cristo Senhor nosso.

Check Also

31 de março de 2024 – Liturgia do Domingo de Páscoa da Ressurreição do Senhor – Ano B

LEITURA I At 10, 34a.37-43 Leitura dos Atos dos Apóstolos Naqueles dias, Pedro tomou a …

Sahifa Theme License is not validated, Go to the theme options page to validate the license, You need a single license for each domain name.