12 de janeiro de 2020 – Festa do Batismo do Senhor

LEITURA I Is 42, 1-4.6-7

Leitura do Livro de Isaías
Diz o Senhor: «Eis o meu servo, a quem Eu protejo, o meu eleito, enlevo da minha alma. Sobre ele fiz repousar o meu espírito, para que leve a justiça às nações. Não gritará, nem levantará a voz, nem se fará ouvir nas praças; não quebrará a cana fendida, nem apagará a torcida que ainda fumega: proclamará fielmente a justiça. Não desfalecerá nem desistirá, enquanto não estabelecer a justiça na terra, a doutrina que as ilhas longínquas esperam. Fui Eu, o Senhor, que te chamei segundo a justiça; tomei-te pela mão, formei-te e fiz de ti a aliança do povo e a luz das nações, para abrires os olhos aos cegos, tirares do cárcere os prisioneiros
e da prisão os que habitam nas trevas».

Palavra do Senhor

SALMO RESPONSORIAL Salmo 28 (29), 1a.2.3ac-4.3b.9b-10 (R. 11b)

Refrão: O Senhor abençoará o seu povo na paz.

Tributai ao Senhor, filhos de Deus,
tributai ao Senhor glória e poder.
Tributai ao Senhor a glória do seu nome,
adorai o Senhor com ornamentos sagrados.

A voz do Senhor ressoa sobre as nuvens,
o Senhor está sobre a vastidão das águas.
A voz do Senhor é poderosa,
a voz do Senhor é majestosa.

A majestade de Deus faz ecoar o seu trovão,
e no seu templo todos clamam: Glória!
Sobre as águas do dilúvio senta-Se o Senhor,
o Senhor senta-Se como rei eterno.

LEITURA II Actos 10, 34-38

Leitura dos Actos dos Apóstolos
Naqueles dias, Pedro tomou a palavra e disse: «Na verdade, eu reconheço que Deus não faz acepção de pessoas, mas, em qualquer nação, aquele que O teme e pratica a justiça é-Lhe agradável. Ele enviou a sua palavra aos filhos de Israel, anunciando a paz por Jesus Cristo, que é o Senhor de todos. Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do baptismo que João pregou: Deus ungiu com a força do Espírito Santo a Jesus de Nazaré, que passou fazendo o bem e curando todos os que eram oprimidos pelo Demónio, porque Deus estava com Ele».

Palavra do Senhor.

 

EVANGELHO Mt 3, 13-17

+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, Jesus chegou da Galileia e veio ter com João Baptista ao Jordão, para ser baptizado por ele. Mas João opunha-se, dizendo: «Eu é que preciso de ser baptizado por Ti, e Tu vens ter comigo?». Jesus respondeu-lhe: «Deixa por agora; convém que assim cumpramos toda a justiça». João deixou então que Ele Se aproximasse. Logo que Jesus foi baptizado, saiu da água. Então, abriram-se os céus e Jesus viu o Espírito de Deus descer como uma pomba e pousar sobre Ele. E uma voz vinda do Céu dizia: «Este é o meu Filho muito amado, no qual pus toda a minha complacência».

Palavra da salvação.

Reflexão:

Celebrando hoje o Baptismo do Senhor, somos convidados nesta Eucaristia a reflectir sobre o nosso próprio Baptismo. O Senhor chamou-nos à Sua Igreja. Quer que vivamos de acordo com a Sua vontade. Precisa de nós para O anunciarmos ao mundo.

Baptismo de Jesus
Jesus não precisava de receber o Baptismo de penitência. No entanto quis ser baptizado por João Baptista no rio Jordão, como nos recorda o Evangelho.
Viveu-se ali o mistério da Santíssima Trindade com o Espírito Santo a manifestar-se em forma de pomba e o Pai a dizer: «Este é o Meu Filho muito amado, no qual pus toda a minha complacência».
Se Jesus é o Filho muito amado de Deus Pai, amemo-l’O com todo o nosso coração. Cumpramos a missão que nos confiou. E seremos felizes. Felizes para sempre…
Ao celebrarmos o Baptismo de Jesus, somos chamados a reflectir sobre o nosso Batismo.

Baptismo das crianças
Quando os pais vêm pedir o Baptismo para o seu filho, procurem os responsáveis acolhê-los com todo o respeito e simpatia.
Através dum diálogo franco e sincero, procure-se apontar o caminho certo mas compreendendo as dificuldades que surgem nessa caminhada.
A criança baptizada irá aprender na catequese e na preparação para os outros sacramentos, a amar Jesus. Ela própria poderá ser o anjo enviado por Deus para que os pais vivam também eles a sério a fé cristã.
Pode acontecer que os pais não deixem baptizar os seus filhos justificando, por diversos motivos, a sua decisão.
Tem onze anos de idade. Quando vem a casa da avó, acompanha-a sempre até à igreja. Participa como acólita na Eucaristia. Por vezes fica pensativa… E o desabafo da Sara surgiu: «Sabe, Senhor Padre, o meu pai não quer que eu seja baptizada. Respeito a sua decisão. É meu pai. Mas continuarei a minha formação na escola e na igreja para preparar bem o meu futuro. Quando completar os dezoito anos de idade serei eu mesma a pedir livremente o sacramento do Baptismo».
Quem sabe se nessa altura, ao ver a felicidade da filha, não quererá também ele voltar a ser feliz como era até deixar de ser católico praticante?!…

O nosso Baptismo
Hoje é um dia belo para agradecermos ao Senhor a graça que nos concedeu, chamando-nos para a Sua Igreja no dia do nosso Baptismo.
Não manchemos a santidade da Igreja com as nossas faltas. Sejamos cristãos autênticos e verdadeiros.
A melhor forma de agradecermos é darmos testemunho d’Ele com a nossa vida no mundo. Muitos mais caminharão connosco. O ódio dará lugar ao amor. O mundo será melhor porque «o Senhor abençoará o seu povo na paz» (Salmo Responsorial).
Que Maria Santíssima, Mãe de Jesus, esteja sempre connosco para jamais nos separarmos d’Ele agora e na eternidade!

Oração Universal ou dos Fiéis

Irmãs e irmãos em Cristo:
Recordando o Baptismo de Jesus, o Filho muito amado de Deus Pai, oremos pelos homens e as mulheres de toda a terra, dizendo (ou: cantando), confiadamente:

R. Ouvi-nos, Senhor.
Ou: Iluminai, Senhor, a terra inteira.
Ou: Confirmai-nos, Senhor, no vosso Espírito.

1. Pela santa Igreja do Oriente e do Ocidente,
pelos ministros do Evangelho e do Baptismo
pelas crianças, por seus pais e seus padrinhos,
oremos.

2. Pelos catecúmenos jovens e adultos,
pelos eleitos, que são o enlevo do Senhor
e pelos grupos cristãos que os acompanham,
oremos.

3. Pelos que são baptizados neste dia
ou confirmados pelo Espírito, o Dom de Deus,
e pelos que procuram ser fiéis ao seu Baptismo,
oremos.

4. Pelas famílias cristãs, pequenas Igrejas em cada lar,
pelos que buscam a Deus com rectidão
e por aqueles que se sentem oprimidos pelo Demónio,
oremos.

5. Por todos nós que recebemos o Baptismo,
pelos que estão em graça e paz com Deus
e por aqueles que entre nós vivem nas trevas,
oremos.

(Outras intenções: os que vão ser baptizados na Páscoa; fiéis defuntos …).
Senhor, nosso Deus,
reavivai em nós, pelo Espírito Santo, o dom e a alegria do Baptismo, para que Vos chamemos nosso Pai e nos sintamos, de verdade, vossos filhos.
Por Cristo Senhor nosso.

Check Also

13 de setembro de 2020 – 24º Domingo do Tempo Comum – Ano A

LEITURA I Sir 27, 33 – 28, 9 Leitura do Livro de Ben-Sirá O rancor …