7 de novembro de 2021 – Liturgia do 32º Domingo do Tempo Comum – Ano B

LEITURA I 1 Reis 17, 10-16

Leitura do Primeiro Livro dos Reis

Naqueles dias, o profeta Elias pôs-se a caminho e foi a Sarepta. Ao chegar às portas da cidade, encontrou uma viúva a apanhar lenha. Chamou-a e disse-lhe: «Por favor, traz-me uma bilha de água para eu beber». Quando ela ia a buscar a água, Elias chamou-a e disse: «Por favor, traz-me também um pedaço de pão». Mas ela respondeu: «Tão certo como estar vivo o Senhor, teu Deus, eu não tenho pão cozido, mas somente um punhado de farinha na panela e um pouco de azeite na almotolia. Vim apanhar dois cavacos de lenha, a fim de preparar esse resto para mim e meu filho.
Depois comeremos e esperaremos a morte». Elias disse-lhe: «Não temas; volta e faz como disseste. Mas primeiro coze um pãozinho e traz-mo aqui. Depois prepararás o resto para ti e teu filho. Porque assim fala o Senhor, Deus de Israel: Não se esgotará a panela da farinha, nem se esvaziará a almotolia do azeite, até ao dia em que o Senhor mandar chuva sobre a face da terra’». A mulher foi e fez como Elias lhe mandara; e comeram ele, ela e seu filho Desde aquele dia, nem a panela da farinha se esgotou, nem se esvaziou a almotolia do azeite, como o Senhor prometera pela boca de Elias.

Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL Salmo 145 (146), 7.8-9a.9bc-10 

Refrão: Ó minha alma, louva o Senhor.

O Senhor faz justiça aos oprimidos,
dá pão aos que têm fome
e a liberdade aos cativos.

O Senhor ilumina os olhos do cego,
o Senhor levanta os abatidos,
o Senhor ama os justos.

O Senhor protege os peregrinos,
ampara o órfão e a viúva
e entrava o caminho aos pecadores.

O Senhor reina eternamente;
o teu Deus, ó Sião,
é rei por todas as gerações

 

LEITURA II Hebr 9, 24-28

Leitura da Epístola aos Hebreus

Cristo não entrou num santuário feito por mãos humanas, figura do verdadeiro, mas no próprio Céu, para Se apresentar agora na presença de Deus em nosso favor. E não entrou para Se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote que entra cada ano no Santuário, com sangue alheio; nesse caso, Cristo deveria ter padecido muitas vezes,
desde o princípio do mundo. Mas Ele manifestou-Se uma só vez, na plenitude dos tempos, para destruir o pecado pelo sacrifício de Si mesmo. E, como está determinado que os homens morram uma só vez e a seguir haja o julgamento, assim também Cristo, depois de Se ter oferecido uma só vez para tomar sobre Si os pecados da multidão,
aparecerá segunda vez, sem a aparência do pecado, para dar a salvação àqueles que O esperam.

Palavra do Senhor

 

EVANGELHO Forma longa Mc 12, 38-44
»
+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos

Naquele tempo, Jesus ensinava a multidão, dizendo: «Acautelai-vos dos escribas, que gostam de exibir longas vestes,
de receber cumprimentos nas praças, de ocupar os primeiros assentos nas sinagogas e os primeiros lugares nos banquetes. Devoram as casas das viúvas, com pretexto de fazerem longas rezas. Estes receberão uma sentença mais severa». Jesus sentou-Se em frente da arca do tesouro, a observar como a multidão deitava o dinheiro na caixa.
Muitos ricos deitavam quantias avultadas. Veio uma pobre viúva e deitou duas pequenas moedas, isto é, um quadrante. Jesus chamou os discípulos e disse-lhes: «Em verdade vos digo: Esta pobre viúva deitou na caixa mais do que todos os outros. Eles deitaram do que lhes sobrava, mas ela, na sua pobreza, ofereceu tudo o que tinha,
tudo o que possuía para viver».

Palavra da salvação.

 

REFLEXÃO

Deus, que é Amor chamou-nos á vida para sermos felizes no tempo e por toda a eternidade. Como é importante levar muito a sério este plano do Seu amor. Ele corresponde aos maiores anseios de nossa vida. Quão importante é que sempre existam anunciadores convictos desta tão maravilhosa realidade, para ninguém se sentir perdido nos caminhos da vida!

1.Ó minha alma louva o Senhor!

Deus, nosso Pai e Criador, chamou-nos à vida para O conhecer, amar e servir nesta vida e com Ele vivermos eternamente num constante hino de louvor.

 Só poderemos participar neste projeto de amor eterno, na medida em que o iniciarmos já aqui, neste mundo: “tal vida, tal morte”. Costumamos também afirmar e com razão, “que a árvore cairá para onde estiver inclinada”. É pois de suma importância que desde já, com convicção e muito amor, possamos servir e louvar o Senhor. Ó minha alma louva o Senhor!

2.Como concretizar este louvor ao Senhor.

As leituras da Missa de hoje apresentam-nos exemplos de duas pobres viúvas que souberam e nos ensinaram a louvar o Senhor:

A 1ª Leitura diz-nos que uma viúva de Sarepta, pôs ao serviço do Profeta Elias tudo quanto possuía: um punhado de farinha na panela e um pouco de azeite na almotolia.

Na sequência de uma longa carestia, já há três anos que não chovia. E os habitantes de Caná, com os sacerdotes de Baal, atribuíam tal carência ao Profete Elias, a quem, por isso, queriam matar. Perante tal ameaça, Elias sentiu necessidade de fugir. A pobre viúva de Sarepta é a escolhida por Deus para lhe valer dando-lhe tudo quanto possuía.

Esta generosidade vai contribuir para que nem se esgote a farinha da panela, nem o azeite na almotolia, até que chegue a tão desejada chuva e faça de novo germinar os produtos da terra.

No Evangelho vemos outra viúva que dá pouco, mas esse pouco é tudo quanto possuía. Com certeza também foi compensada pela sua generosidade.

Louvar o Senhor não consiste em dar alguma coisa, mas sim em dar tudo, é estar totalmente ao Seu serviço.

Assim fez e nos ensinou Jesus. Deu-se TODO por nós, no alto da cruz, como nos afirma a 2ª Leitura da Missa de hoje. E, com essa doação total, apresentou-se diante do Pai do Céu em nosso favor.

3. Eis o caminho que importa seguir.

Eis pois o caminho que devemos seguir: ser generosos na nossa entrega ao Senhor:  concretamente os casais aceitando com generosidade todos os filhos que Deus lhes queira confiar, enriquecendo a família e a Sociedade e todos cumprindo todos os mandamentos do Senhor, que sempre são caminhos de verdadeira libertação e felicidade: “Procurai em primeirolugar o reino de Deus e a Sua justiça, e tudo o mais vos será dado por acréscimo”, nos garante Jesus, a Palavra da Verdade.

Se formos generosos na nossa entrega ao Senhor, Ele será generosíssimo connosco, nada, mas mesmo nada nos faltará.

Nesta doação ao Senhor, se concretizará o verdadeiro amor que devemos ter a Deus e aos irmãos pelo amor de Deus. Eis o programa de vida e de ação que se espera de todos os seminaristas, sacerdotes, almas particularmente consagradas a Deus e leigos conscientes da missão que o Senhor lhes confiou.

Só assim que estaremos a louvar o Senhor nesta vida, para O louvarmos também para sempre no reino dos Céus.

 

 

ORAÇÃO UNIVERSAL OU DOS FIÉIS

Irmãs e irmãos em Cristo:
Tal como a farinha da viúva de Sarepta, a graça de Deus nunca se esgota. Peçamos-Lhe pela Igreja e pelos mais pobres da terra, dizendo (ou: cantando), humildemente:

R. Ouvi-nos, Senhor.
Ou: Senhor, nós temos confiança em Vós.
Ou: Senhor, vinde em nosso auxílio.

1. Pela Igreja, que recebeu como missão
o encargo de se preocupar com os mais pobres,
como fez Jesus Cristo, o Salvador,
oremos.

2. Pelos países menos ricos deste mundo,
pelos responsáveis da política e da economia
e pelos que pensam nos que nada têm,
oremos.

3. Pelas viúvas, pelos órfãos e indigentes,
por aqueles a quem falta o necessário
e pelos que dão tudo o que possuem,
oremos.

4. Pelos que lutam contra a miséria e a injustiça,
pelos que tomam iniciativas contra a fome
e pelos que se abrem à verdadeira caridade,
oremos.

5. Por aqueles que em nossas casas estão doentes
e pelos que, à semelhança de Jesus,
estendem a mão aos oprimidos e aflitos,
oremos.

(Outras intenções: Seminários; educadores da fé; fiéis defuntos …).

 

Deus de bondade infinita,
que sois o dom mais precioso dado aos homens, abri as nossas mãos aos que têm fome e os nossos corações àqueles que choram, por não terem amor, nem pão, nem fé.
Por Cristo Senhor nosso.

Check Also

21 de novembro de 2021- Liturgia da Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

LEITURA I Dan 7, 13-14 Leitura da Profecia de Daniel Contemplava eu as visões da …