25 de dezembro de 2022 – Liturgia da Solenidade do Natal do Senhor

LEITURA I Is 52, 7-10

Leitura do Livro de Isaías

Como são belos sobre os montes os pés do mensageiro que anuncia a paz, que traz a boa nova, que proclama a salvação e diz a Sião: «O teu Deus é rei». Eis o grito das tuas sentinelas que levantam a voz. Todas juntas soltam brados de alegria, porque veem com os próprios olhos o Senhor que volta para Sião. Rompei todas em brados de alegria, ruínas de Jerusalém, porque o Senhor consola o seu povo, resgata Jerusalém. O Senhor descobre o seu santo braço à vista de todas as nações, e todos os confins da terra verão a salvação do nosso Deus.

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL Sl 97 (98), 1.2-3ab.3cd-4.5-6 (R. 3c)

Refrão: Todos os confins da terra
viram a salvação do nosso Deus.

Cantai ao Senhor um cântico novo
pelas maravilhas que Ele operou.
A sua mão e o seu santo braço
Lhe deram a vitória.

O Senhor deu a conhecer a salvação,
revelou aos olhos das nações a sua justiça.
Recordou-Se da sua bondade e fidelidade
em favor da casa de Israel.

Os confins da terra puderam ver
a salvação do nosso Deus.
Aclamai o Senhor, terra inteira,
exultai de alegria e cantai.

Cantai ao Senhor ao som da cítara,
ao som da cítara e da lira;
ao som da tuba e da trombeta,
aclamai o Senhor, nosso rei.

 

LEITURA II Heb 1, 1-6

Leitura da Epístola aos Hebreus

Muitas vezes e de muitos modos falou Deus antigamente aos nossos pais, pelos Profetas. Nestes dias, que são os últimos, falou-nos por seu Filho, a quem fez herdeiro de todas as coisas e pelo qual também criou o universo. Sendo o Filho esplendor da sua glória e imagem da sua substância, tudo sustenta com a sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, sentou-Se à direita da Majestade no alto dos Céus e ficou tanto acima dos Anjos quanto mais sublime que o deles é o nome que recebeu em herança. A qual dos Anjos, com efeito, disse Deus alguma vez: «Tu és meu Filho, Eu hoje Te gerei»? E ainda: «Eu serei para Ele um Pai, e Ele será para Mim um Filho»? E de novo, quando introduziu no mundo o seu Primogénito, disse: «Adorem-n’O todos os Anjos de Deus».

Palavra do Senhor.

 

EVANGELHO Forma longa Jo 1, 1-18

+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

No princípio era o Verbo e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus. No princípio, Ele estava com Deus. Tudo se fez por meio d’Ele, e sem Ele nada foi feito. N’Ele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. A luz brilha nas trevas,
e as trevas não a receberam. Apareceu um homem enviado por Deus, chamado João. Veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos acreditassem por meio dele. Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz. O Verbo era a luz verdadeira, que, vindo ao mundo, ilumina todo o homem. Estava no mundo, e o mundo, que foi feito por Ele, não O conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não O receberam. Mas àqueles que O receberam e acreditaram no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus. Estes não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. E o Verbo fez-Se carne e habitou entre nós. Nós vimos a sua glória, glória que Lhe vem do Pai como Filho Unigénito, cheio de graça e de verdade. João dá testemunho d’Ele, exclamando: «É deste que eu dizia: ‘O que vem depois de mim passou à minha frente, porque existia antes de mim’». Na verdade, foi da sua plenitude que todos nós recebemos graça sobre graça. Porque, se a Lei foi dada por meio de Moisés, a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. A Deus, nunca ninguém O viu. O Filho Unigénito, que está no seio do Pai, é que O deu a conhecer.

Palavra da salvação.

 

REFLEXÃO 

1.“Todos os confins da terra viram a salvação do nosso Deus”.

 Assim afirmamos há momentos, com o refrão do Salmo intercalar, da Missa de hoje. No Seu Amor por nós a Sua revelação foi realizada conforme a capacidade que os homens iam possuindo para entender tão grandiosa maravilha.

O autor da segunda Leitura deste dia, explica-nos que Deus usa de muitos modos para manifestar aos homens o Seu amor. Fala através da obra maravilhosa da criação, de todos os fenómenos da natureza, do sol que nasce, do movimento harmonioso e grandioso dos astros no firmamento e de todos os acontecimentos da humanidade. Através de tudo isto os homens têm possibilidade de perceber uma mensagem do Alto. O Povo de Israel, através dos profetas teve o privilégio de ouvir a voz do Senhor e assim conhecer a Sua mensagem de uma forma mais clara. Finalmente, Deus enviou o Seu próprio Filho, a Sua Palavra, o Seu Verbo, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade. Jesus é a revelação mais percetível, convincente e verdadeira da Pessoa de Deus Pai, e o Evangelho de hoje explica-nos o porquê.

2.A maior revelação de Deus foi a Encarnação do “Verbo”.

São João diz-nos que o Filho de Deus, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, feito homem em Jesus, com a Sua Encarnação no ventre puríssimo de Nossa Senhora, existia já antes que o mundo fosse criado. Há mais de dois mil anos, o Verbo de Deus, isto é a Palavra divina fez-se carne, assumindo a nossa natureza, passando a falar a nossa própria língua. Assim pôde dizer-nos quem era e é o Pai, o que representamos nós para Ele e qual era o Seu projeto para a salvação da humanidade. Como nos devemos sentir agradecidos!

Para conhecer o Pai basta olhar para Jesus Cristo, observar o que Ele faz, o que diz, o que ensina, como se comporta, como ama, quem escolhe, a quem defende, etc. Diz-nos sobretudo o quanto Deus ama os homens e como gosta de ficar na nossa companhia. Por isso “o Verbo se carne e veio habitar entre nós”. Veio como Luz para iluminar a escuridão em que nos encontrávamos. Esta Luz bendita e salvadora continua a não ser aceite pelas forças do mal geradoras do egoísmo, exploração, opressão, injustiça, a quem denominamos pecado. Ela continuará a iluminar-nos até à Páscoa definitiva que nos está garantida pela própria Páscoa de Jesus Cristo, sinal da grande alegria para toda a humanidade.

3. O Nascimento de Jesus deve ser motivo de alegria para toda a humanidade.

O Profeta Isaías, na primeira Leitura de Missa de Hoje, fala-nos da libertação da

Babilónia. Este fato real do Povo de Israel é imagem da libertação plena que Deus iria realizar no futuro com a Encarnação e Nascimento de Jesus, o verdadeiro libertador da humanidade. Tal fato deveria provocar uma alegria universal.

Para que tal se torne uma consoladora realidade é necessário que todos O conheçam. Esse tão necessário e útil conhecimento dependerá da fé com que o estamos a viver.

Para já é certo que não vemos senão uma realização imperfeita da libertação prometida. Tal fica a dever-se à pouca ou mesmo nenhuma fé de tantos homens. Senhor aumenta a nossa fé!

 O certo é que o Senhor fez tudo para que nada nos faltasse, mas respeita a liberdade com que nos criou. Fica uma certeza: o novo reino já começou com a vinda de Jesus. Como é importante vivê-lo e anunciá-lo, com convicção e alegria, aos que ainda o desconhecem! O verdadeiro Natal, para muitos, passa por este tão necessário testemunho que todos devemos dar.

 

ORAÇÃO UNIVERSAL OU DOS FIÉIS 

Irmãos e irmãs:
Neste dia de festa tão solene, contemplemos o Menino que nasceu e apresentemos-Lhe as nossas orações, dizendo (ou: cantando), com alegria:

R. Cristo, ouvi-nos. Cristo, atendei-nos.
Ou: Ouvi-nos, Senhor.
Ou: Mostrai-nos, Senhor, o vosso amor.

1. Pelo Papa N., pelos bispos, presbíteros, diáconos e fiéis,
para que contemplem no Menino de Belém
Aquele que fez de nós filhos de Deus,
oremos.

2. Pelos que fazem as leis ou as aprovam,
para que aprendam à luz deste Natal
a defender e a promover a vida humana,
oremos.

3. Pelas crianças que perderam os seus pais,
para que encontrem a seu lado quem as ame
e lhes fale do Menino e do Natal,
oremos.

4. Pelos que neste dia estão tristes e sozinhos,
para que reconheçam em Jesus, o Salvador,
e O adorem como verdadeiro Deus,
oremos.

5. Pelas famílias da nossa comunidade (paroquial),
para que sejam mensageiras de Jesus Menino,
que nasceu de Maria, a Virgem Mãe,
oremos.

(Outras intenções: grandes problemas mundiais; pessoas sem família …).

Senhor Jesus,
que fostes enviado ao mundo para lhe trazer a luz do Céu, acolhei as nossas súplicas pelos homens de quem Vos fizestes irmão.
Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos.

Check Also

5 de maio de 2024 – Liturgia do 6º Domingo da Páscoa – Ano B

LEITURA I At 10, 25-26.34-35.44-48 Leitura dos Atos dos Apóstolos Naqueles dias, Pedro chegou a …

Sahifa Theme License is not validated, Go to the theme options page to validate the license, You need a single license for each domain name.