17 de janeiro de 2021 – Liturgia do 2º Domingo do Tempo Comum – Ano B

LEITURA I 1 Sam 3, 3b-10.19

Leitura do Primeiro Livro de Samuel
Naqueles dias, Samuel dormia no templo do Senhor, onde se encontrava a arca de Deus. O Senhor chamou Samuel,
e ele respondeu: «Aqui estou». E, correndo para junto de Heli, disse: «Aqui estou, porque me chamaste». Mas Heli respondeu: «Eu não te chamei; torna a deitar-te». E ele foi deitar-se. O Senhor voltou a chamar Samuel. Samuel levantou-se, foi ter com Heli e disse: «Aqui estou, porque me chamaste». Heli respondeu: «Não te chamei, meu filho; torna a deitar-te». Samuel ainda não conhecia o Senhor, porque, até então, nunca se lhe tinha manifestado a palavra do Senhor. O Senhor chamou Samuel pela terceira vez. Ele levantou-se, foi ter com Heli e disse: «Aqui estou, porque me chamaste». Então Heli compreendeu que era o Senhor que chamava pelo jovem. Disse Heli a Samuel: «Vai deitar-te; e se te chamarem outra vez, responde: ‘Falai, Senhor, que o vosso servo escuta’». Samuel voltou para o seu lugar e deitou-se. O Senhor veio, aproximou-Se e chamou como das outras vezes: «Samuel, Samuel!». E Samuel respondeu: «Falai, Senhor, que o vosso servo escuta». Samuel foi crescendo; o Senhor estava com ele, e nenhuma das suas palavras deixou de cumprir-se.

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL Salmo 39 (40), 2.4ab.7-8a.8b-9.10-11  (R. 8a.9a)

Refrão: Eu venho, Senhor, para fazer a vossa vontade.

Esperei no Senhor com toda a confiança,
e Ele atendeu-me.
Pôs em meus lábios um cântico novo,
um hino de louvor ao nosso Deus.

Não Vos agradaram sacrifícios nem oblações,
mas abristes-me os ouvidos;
não pedistes holocaustos nem expiações,
então clamei: «Aqui estou.

De mim está escrito no livro da Lei
que faça a vossa vontade.
Assim o quero, ó meu Deus,
a vossa lei está no meu coração».

Proclamei a justiça na grande assembleia,
não fechei os meus lábios, Senhor, bem o sabeis.
Não escondi a justiça no fundo do coração,
proclamei a vossa bondade e fidelidade.

 

LEITURA II 1 Cor 6, 13c-15a.17-20

Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios
Irmãos: O corpo não é para a imoralidade, mas para o Senhor, e o Senhor é para o corpo. Deus, que ressuscitou o Senhor, também nos ressuscitará a nós pelo seu poder. Não sabeis que os vossos corpos são membros de Cristo?
Aquele que se une ao Senhor constitui com Ele um só Espírito. Fugi da imoralidade. Qualquer outro pecado que o homem cometa é exterior ao seu corpo; mas o que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós e vos foi dado por Deus? Não pertenceis a vós mesmos,
porque fostes resgatados por grande preço: glorificai a Deus no vosso corpo.

Palavra do Senhor.

 

EVANGELHO Jo 1, 35-42

+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, estava João Baptista com dois dos seus discípulos e, vendo Jesus que passava, disse: «Eis o Cordeiro de Deus». Os dois discípulos ouviram-no dizer aquelas palavras e seguiram Jesus. Entretanto, Jesus voltou-Se; e, ao ver que O seguiam, disse-lhes: «Que procurais?». Eles responderam: «Rabi – que quer dizer ‘Mestre’ – onde moras?». Disse-lhes Jesus: «Vinde ver». Eles foram ver onde morava e ficaram com Ele nesse dia. Era por volta das quatro horas da tarde. André, irmão de Simão Pedro, foi um dos que ouviram João e seguiram Jesus. Foi procurar primeiro seu irmão Simão e disse-lhe: «Encontrámos o Messias» – que quer dizer ‘Cristo’ –; e levou-o a Jesus.
Fitando os olhos nele, Jesus disse-lhe: «Tu és Simão, filho de João. Chamar-te-ás Cefas» – que quer dizer ‘Pedro’.

Palavra da salvação.

 

Reflexão: 

“Eis o Cordeiro de Deus.” A Palavra divina neste segundo Domingo do Tempo Comum fala-nos da vocação. Deus chama-nos para colaborarmos com Ele na obra da redenção do mundo. A Deus que chama, Samuel responde prontamente: falai, Senhor, que o vosso servo escuta. São João Baptista apresenta Jesus como o Cordeiro de Deus. Este anúncio luminoso mudou a vida de João e André. Decidiram seguir Jesus. Hoje, Jesus também nos convida: “Vinde ver!” Eis um programa de vida cristã para este Novo Ano: Procurar Jesus, seguir Jesus, permanecer em Jesus. Chamar e trazer as pessoas a Jesus. Servir a Deus, renunciando à imoralidade, glorificando a Deus com uma vida pura.

“Falai, Senhor, que o vosso servo escuta”

O relato da vocação de Samuel na primeira leitura recorda-nos que a vocação é sempre uma iniciativa divina: “o Senhor chamou Samuel.” É Deus que nos escolhe e nos chama. A Bíblia diz que “Samuel ainda não conhecia o Senhor porque, até então, nunca se lhe tinha manifestado a Palavra do Senhor.” Ao falar assim, reforça a ideia que a vocação de Samuel tem a sua origem em Deus. Deus dirige-se a Samuel enquanto dormia, durante a noite. A noite favorece o silêncio, permitindo-nos escutar a voz de Deus; o silêncio favorece a oração. Reparemos que o autor sagrado sublinha a dificuldade que o jovem Samuel teve em reconhecer a voz do Senhor. Chamado por quatro vezes, Samuel só na última vez conseguiu identificar a voz de Deus. Isto sublinha a dificuldade de identificar a voz de Deus e o papel do sacerdote Eli, que compreende “que era o Senhor quem chamava o menino” e o ensinou: “Vai deitar-te e se te chamarem outra vez, responde: “Falai, Senhor, que o vosso servo escuta.” Na Bíblia, o verbo “escutar”, significa acolher no coração e transformar o que se ouviu em compromisso de vida. Samuel acolheu o apelo de Deus e “foi crescendo. Deus estava com ele e nenhuma palavra deixou de cumprir-se.” Samuel foi um sinal vivo de Deus, foi a voz “humana” de Deus, na vida e na história do Povo Hebreu.

Eis o Cordeiro de Deus! Foram ver onde Jesus morava e ficaram com Ele.

Deus manifestou o Seu amor por nós de forma progressiva, ao longo da História da salvação. Esta revelação alcançou a plenitude, quando nos enviou o Seu Filho. Durante o tempo de Natal celebrámos o mistério da Encarnação: O Verbo fez-se Homem e veio habitar connosco. Jesus é a Palavra definitiva do Pai. “Deus falou-nos muitas vezes e de muitos modos pelos profetas. Na plenitude dos tempos falo-nos por Seu Filho.” (Cf Heb 1-2) Não podemos ficar indiferentes à voz de Deus. A nossa atitude deve ser como a do jovem Samuel que respondeu com generosidade e prontidão. Ou como a dos dois discípulos de João Baptista. Diz o Evangelho que ao ver Jesus, que passava por ali, nas margens do Jordão, João Baptista apontou para Ele, dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus.” Movidos por anúncio jubiloso e misterioso, foram ter com Jesus. Qual o significado destas palavras que motivaram João e André a deixar o Baptista para seguirem Jesus? Todos dias o sacerdote repete estas palavras na Eucaristia, antes da comunhão. “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.” Também nos fascinam quando as ouvimos? Deixamo-nos seduzir por Jesus, o Cordeiro de Deus? Eles decidiram seguir Jesus. Ficaram com Ele. Tornaram-se seus amigos, seus discípulos, seus Apóstolos. E

Na Antiga Aliança, o Cordeiro imolado na Ceia pascal, lembrava aos Hebreus a passagem da terra da escravidão, no Egipto, para a Terra Prometida. Era o símbolo da libertação. Era o símbolo da Páscoa. No tempo de Jesus, a palavra “cordeiro” também recordava aos judeus, que esperavam o Messias, a profecia do Servo sofredor, que havia de carregar sobre os seus ombros as culpas da humanidade, “como um Cordeiro levado ao matadouro.” (Isaías 53,7) O Evangelho diz que “os dois discípulos de João Baptista ouviram aquelas palavras e seguiram Jesus.” Ficaram fascinados. Certamente não conheciam Jesus, mas deixaram-se seduzir por Ele. Jesus perguntou: “Que procurais?” Esta pergunta é um estímulo para eles, que suspiravam pela vinda do Messias tão desejado. Jesus aumenta a curiosidade e favorece o diálogo. Eles perguntaram também: “Rabi, onde moras?” Jesus respondeu: “Vinde ver.” S. João da Cruz diz que “quando a alma procura a Deus, muito mais a procura o seu Amado a ela.”[1] Quem procura encontra. Não procurariam se Deus não tivesse colocado neles o desejo de procurar. Deus serve-se muitas vezes de intermediários. Já falámos do sacerdote Eli. Ao iniciar a Sua vida pública, Jesus, através de S. João Baptista, vai ter os primeiros discípulos. Que experiência maravilhosa. Passar um dia com Jesus. S. João nunca mais esqueceu este primeiro encontro com o divino Mestre. As pessoas apaixonadas recordam o dia e a hora do primeiro encontro com a pessoa amada! “Era por volta das quatro horas da tarde.” A alegria de quem encontrou a felicidade torna-se contagiosa. Não é possível esconder a luz que brilha no rosto de uma pessoa apaixonada. André foi procurar seu Irmão, Simão e contou-lhe a origem da sua Felicidade: “Encontrámos o Messias! E levou-o a Jesus.”

Estamos a iniciar um novo ano. O Amor é dinâmico. A alegria da fé é luminosa, é contagiante. Ano Novo, vida nova. Decidir seguir Jesus. Estar com Ele pelo menos um dia, um dia de retiro. Falar de Jesus, com entusiasmo. Trazer alguém à Eucaristia, à Confissão, à Comunhão.

 

Oração Universal ou dos Fiéis: 

Irmãs e irmãos em Cristo:
Oremos a Deus nosso Pai, que nos faz conhecer a sua vontade através da história do mundo e dos homens,
e digamos (ou: e cantemos), humildemente:

R. Ouvi-nos, Senhor.
Ou: Concedei-nos, Senhor, a vossa graça.
Ou: Ouvi, Senhor, a nossa súplica.

1. Para que a nossa Diocese, suas paróquias e movimentos
sejam confirmados na fé pelo Papa N.,
sucessor do apóstolo São Pedro,
oremos.

2. Para que os responsáveis da nossa Pátria
desenvolvam com entusiasmo o bem comum
e promovam os direitos dos cidadãos mais necessitados,
oremos.

3. Para que os jovens da nossa Diocese,
à semelhança do pequeno Samuel,
escutem com júbilo a voz de Cristo que os chama,
oremos.

4. Para que os membros da nossa assembleia
participem dignamente na Eucaristia
e cresçam cada vez mais em boas obras,
oremos.

5. Para que os fiéis defuntos das nossas famílias
alcancem o perdão dos seus pecados,
e entrem na vida que não tem fim,
oremos.

(Outras intenções: grandes problemas mundiais; nossos familiares defuntos …).

Deus eterno e omnipotente,
que nos chamais a seguir-Vos como o vosso Filho chamou os Apóstolos, confirmai no seu propósito os que respondem com decisão e renovai o entusiasmo dos que vacilam no caminho.
Por Cristo Senhor nosso.

Check Also

20 de dezembro de 2020 -4º Domingo do Advento _Ano B

LEITURA I 2 Sam 7, 1-5.8b-12.14a.16   Leitura do Segundo Livro de Samuel Quando David …