10 de outubro de 2021 -28º Domingo do Tempo Comum – Ano B

A figura que hoje nos aparece no Evangelho é uma personalidade interessante: É jovem, rico e cumpre corretamente a Lei. Mas não se sente satisfeito. Deseja fazer mais, ir mais além. No entanto quando o Senhor vai ao encontro do seu desejo e lhe diz: “Deixa tudo e segue-me”, ele não tem coragem de abandonar o conforto e a segurança que lhe dá a sua fortuna e segue por outro caminho.

Qual de nós não se reconhece na figura deste homem?

Também nós muitas vezes nos sentimos insatisfeitos com a rotina das nossas vidas e sentimos o desejo de dar mais, de voar mais alto.

Se ouvimos a voz do Senhor, sentimo-nos atraídos por ela. Mas temos medo de arriscar. Temos demasiado apego ao nosso conforto, à nossa segurança.

“É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no Reino de Deus”.

Não porque a riqueza seja um sinal em si, pelo contrário, é até um bem quando concorre para o desenvolvimento, cria postos de trabalho, é enfim posta ao serviço da comunidade. Mas quando as pessoas têm demasiado apego ao seu dinheiro e este se torna para elas uma obsessão, de tal maneira que se esquecem totalmente de Deus e dos irmãos, então não conseguirão passar pela porta estreita que conduz ao Reino de Deus, para o qual foram criados.

E não se pense que são só os poderosos, os possuidores de grandes fortunas, que têm este amor exagerado ao dinheiro. Todos nós temos uma certa tendência a pensar que a finalidade da vida é conseguir a estabilidade financeira. Se temos uma boa conta bancária, uma bela casa, um carro de marca, sentimo-nos seguros. Pensamos que já não precisamos dos outros, nem talvez de Deus. E quando não atingimos ainda esse nível económico, trabalhamos afincadamente para o conseguir, de tal maneira que não nos restam tempo nem forças para Deus e para os outros.

Mas no meio dessas preocupações materiais, talvez um dia sintamos a inquietação do jovem rico, e nos lembremos de perguntar: “Senhor que mais hei-de fazer para ter a vida eterna?”

Com certeza o Senhor nos há-de convidar a pôr n’Ele a nossa confiança e não no dinheiro.

“Procura primeiro o Reino de Deus e o resto te será dado por acréscimo” é-nos dito noutro passo do Evangelho.

Check Also

17 de outubro de 2021 -29º Domingo do Tempo Comum – Ano B

A confiança em Deus é, como atrás se afirma, um dos pensamentos básicos das leituras …