Símbolos da Jornada Mundial da Juventude voltam em outubro ao Algarve, ao fim de 11 anos

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) – a cruz e o ícone de Nossa Senhora – regressam ao Algarve no final do próximo mês de outubro, ao fim de 11 anos.

A cruz e o ícone mariano “Salus Populi Romani” estiveram no Algarve pela última vez no dia 13 de agosto de 2010, na preparação da JMJ de Madrid (2011), em Espanha.

A Diocese do Algarve será mesmo a primeira das dioceses nacionais a receber os símbolos da JMJ, segundo informou o Comité Organizador Local (COL) do encontro mundial da juventude com o Papa em Lisboa em 2023.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Os símbolos serão recebidos, vindos de Espanha, no dia 29 de outubro em Vila Real de Santo António. De 29 de outubro a 5 de novembro irão peregrinar pelas paróquias que constituem a vigararia de Tavira. De 5 a 12 de novembro passarão pelas paróquias que constituem a vigararia de Faro, seguindo-se, de 12 a 19 daquele mês, as paróquias que constituem a vigararia de Loulé. Nos dias 19, 20 e 21 os símbolos estarão presentes na Jornada Diocesana da Juventude, em Monchique, e entre 21 e 26 de novembro percorrerão as paróquias que constituem a vigararia de Portimão. No dia 26 de novembro serão entregues aos representantes da vizinha Diocese de Beja que os virão buscar.

A passagem dos símbolos pelo Algarve chegou a estar prevista para janeiro deste ano, mas foi reagendada em função do adiamento da JMJ de 2022 para 2023 por causa da pandemia de Covid-19.

Os símbolos da JMJ já peregrinaram por Angola e estão agora em Espanha. O itinerário prevê que a peregrinação dos símbolos pelas dioceses portuguesas – um mês em cada uma delas – termine no Patriarcado de Lisboa, em julho de 2023, a diocese escolhida para acolher o encontro de jovens promovido pela Igreja Católica.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A Cruz da JMJ foi entregue pelo Papa João Paulo II aos jovens em abril de 1984 e marcou o início de uma peregrinação da juventude de todo o mundo; em 2000, o mesmo pontífice confiou aos jovens uma cópia do ícone de Nossa Senhora “Maria Salus Populi Romani”.

A cruz de madeira mede 380 cm de altura e pesa 31 kg; os braços medem 175 cm de largura e os painéis em madeira medem 25 cm de largura, e o ícone mariano mede 118 cm de altura, tem 79 cm de largura e 5 cm de profundidade, pesando 15 Kg.

O Comité Organizador Local da JMJ Lisboa 2023 e o Centro de Recursos para a Inclusão Digital, do Instituto Politécnico de Leiria, preparam um folheto informativo e divulgaram a explicação sobre os símbolos do encontro mundial de jovens em linguagem pictográfica, braile e Língua Gestual Portuguesa.

As JMJ nasceram por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível local (diocesano) no de Cristo Rei (até ao ano passado, a celebração decorria no Domingo de Ramos), alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos, numa grande cidade.

As edições internacionais destas jornadas promovidas pela Igreja Católica são um acontecimento religioso e cultural que reúne centenas de milhares de jovens de todo o mundo, durante cerca de uma semana.

 

Fonte:https://folhadodomingo.pt

Check Also

17 de outubro de 2021 -29º Domingo do Tempo Comum – Ano B

A confiança em Deus é, como atrás se afirma, um dos pensamentos básicos das leituras …