Home | Noticias | Portugal: Igreja Católica vai reforçar acompanhamento aos casais, mesmo os unidos pelo «civil» ou «sem qualquer vínculo»

Portugal: Igreja Católica vai reforçar acompanhamento aos casais, mesmo os unidos pelo «civil» ou «sem qualquer vínculo»

Na base deste projeto está um novo guião lançado hoje em Fátima pela Federação Portuguesa dos Centros de Preparação para o Matrimónio

Fátima, 08 set 2018 (Ecclesia) – A Federação Portuguesa dos Centros de Preparação para o Matrimónio apresentou hoje, no Centro Paulo VI, a obra ‘Caminhada em Matrimónio – um guia para casais e famílias’.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, o casal responsável pela Federação, Joaquim Valente Silva e Diná Rocha, destaca um projeto que pretende marcar um ponto de “viragem” no trabalho que é feito pela Igreja Católica neste campo, que deve ir mais além do que “a preparação próxima do casamento”.

“Nós queremos que este guião esteja disponível quer para os jovens quer para os casais que já estão casados, ou civilmente ou pela Igreja Católica. Uns para rever a sua vida e outros para iniciar uma caminhada que pode vir a culminar numa dinâmica de família diferente”, salientou Joaquim Valente.

Neste sentido, “a grande novidade” desta publicação “é a abertura” a um novo caminho, “fora da zona de conforto” habitual dos CPM, incluindo não só aqueles que se preparam para o matrimónio mas todas as famílias em geral.

Para que sirva de ponto de partida para “o aprofundamento e o frutificar de um amor em doação”, sustentou o presidente da Federação Portuguesa dos CPM.

Sobre como é que vai ser concretizado, “de forma prática”, este acompanhamento aos casais e às famílias ao longo do tempo, já está em marcha um trabalho “a nível nacional”, de envolvimento de “todas as dioceses” e de “todos os casais responsáveis quer do CPM quer da Pastoral Familiar”.

“E estamos também a contar com todos os assistentes do CPM e o clero em geral, com todos os sacerdotes de Portugal”, frisou Joaquim Valente Silva.

A Federação Portuguesa dos CPM tem cerca de 7 mil exemplares deste guião para colocar à disposição dos sacerdotes e dos casais com experiência de trabalho na área da preparação e do acompanhamento do matrimónio.

No entanto, referiu o presidente, a ideia é que “todos tenham acesso”, para que as propostas que estão inseridas no livro possam ser “difundidas para a sociedade civil”.

Por isso mesmo, irá estar brevemente à disposição nas livrarias, para o público em geral, por um preço de 16,90 euros.

“Nós queremos ir ao encontro onde estão as famílias, onde estão aqueles que querem ser família, que os jovens, que os casais que estão sem qualquer vínculo de casamento, quer em Igreja quer até civil, possam-se predispor a fazer esta caminhada, que possa vir a culminar no sacramento do matrimónio”, completou Joaquim Valente Silva.

Numa primeira leitura a este projeto, a obra ‘Caminhada em Matrimónio’, sem querer apontar a “receitas” prontas a servir, pretende sobretudo “proporcionar sínteses e pistas para a reflexão sobre a realidade” deste sacramento e para a vida das pessoas que o abraçam ou podem vir a abraçar, a partir de “testemunhos” de quem já tem uma experiência sólida neste campo.

Esta obra resultou de quase dois anos de trabalho, feito em conjunto com as dioceses portuguesas, mais concretamente com os bispos e com quem trabalha no terreno com os noivos e casais.

“É o fruto da vivência de todos aqueles que, no país inteiro, fazendo face às múltiplas e diversas realidades, têm experiência de lidar com os noivos e conhecem aqueles que são os anseios, as aspirações das pessoas”, realçou José Manuel Cabeda, que coordenou a preparação deste livro no terreno, a nível nacional.

O guião está dividido em três partes, cada uma com seis temas para debater: uma primeira intitulada ‘Para refletir individualmente’,; uma segunda parte mais direcionada ‘Para os encontros de CPM’, e uma terceira intitulada ‘Para aprofundar mais’.

Temos depois ainda dois anexos dedicados aos ‘Movimentos da Pastoral Familiar’ e às ‘Leituras da celebração do Matrimónio’.

José Manuel Cabeda destacou a importância de “passar para o papel sensibilidades diferentes que refletem necessidades diversas” de casais “do país inteiro”.

“O livro procurou adaptar-se a todas essas circunstâncias, não só do CPM mas também àqueles que tendo ou não uma caminhada de fé, pretendem fazer uma caminhada, de duas pessoas em conjunto.

“Com este guião quisemos aproximar-nos de todos”, disse o também membro da direção da Federação Portuguesa dos CPM.

Para o padre Paulo Jorge Rocha, sacerdote assistente da Federação Portuguesa dos CPM, este novo guião representa uma oportunidade para ir mais longe no apoio que é dado às pessoas, mas também um desafio a quem se dedica pastoralmente a este setor, “exigindo o compromisso de todos”.

“Há aqui novos materiais, há aqui novas propostas que pretendem ir ao encontro dos casais mas também dos assistentes, daqueles que trabalham com os casais, para que com uma linguagem que corresponde mais à atualidade de hoje, para que possamos ir ao encontro das realidades e necessidades dos próprios casais”, salienta aquele responsável, que vai ainda mais longe.

“Nós padres, se não agarramos e trabalhamos esta dimensão familiar, da Igreja e das famílias, corremos o risco de perder muito daquilo que é a vida da Igreja e daquilo que Deus nos faz como proposta cristã, porque é esta tarefa que é a nova evangelização de hoje. E não pode ser umas pinceladas, não pode ser meia dúzia de encontros e está tudo feito, mas tendo materiais, tendo alguma coisa com que trabalhar, podemos arriscar depois passos novos”, sustentou.

Um desses passos novos que têm de ser dados, “em moldes diferentes dos CPM”, é o acompanhamento feito aos casais a seguir ao matrimónio, e ao longo da vida em família.

“Para além da abertura de todos os movimentos de Pastoral Familiar que já existem, esta é mais uma oferta para esse caminho”, aponta o padre Paulo Jorge Rocha.

O assistente da Federação Portuguesa dos CPM destacou ainda a nova publicação como “um dom para os casais deste tempo”, que a partir dos seus conteúdos pretende “abrir também uma porta para a oração”, tendo em conta o contexto atual do mundo.

Uma “realidade tão dispersa socialmente e mesmo cristãmente e eclesiologicamente, que os noivos que chegam vêm com este défice de saber como rezar”.

“E a proposta é também nessa perspectiva, de lhes dar ferramentas, materiais, que os ajudem a rezar individualmente mas de modo particular em casal”, completou o sacerdote.

A sessão de apresentação do livro, este sábado, contou com a presença de D. Joaquim Mendes, presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, e bispo auxiliar de Lisboa.

Destaque ainda para a participação do professor e pediatra Filipe Almeida, da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, e de Isabel Figueiredo, responsável pela coordenação de conteúdos da Rádio Renascença, numa mesa redonda moderada pelo jornalista Rui Saraiva, diretor-adjunto da Voz Portucalense e correspondente da Rádio Vaticano.

SN/JCP

Check Also

Publicações: Capelão hospitalar lança obra «Momentos de muitas vidas»

Coimbra, 08 nov 2018 (Ecclesia) – O capelão do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, …