«Domingo da Palavra»: Desligar a televisão e o telemóvel para abrir a Bíblia – o conselho do Papa

Homilia de Francisco foi lida em celebração na Basílica de São Pedro

Cidade do Vaticano, 24 jan 2021 (Ecclesia) – O Papa convidou os católicos a desligar a televisão e o telemóvel para abrir a Bíblia, numa homilia escrita para a celebração do ‘Domingo da Palavra’, que se assinala hoje nas comunidades de todo o mundo.

“Peçamos ao Senhor a força de desligar a televisão e abrir a Bíblia, de desligar o telemóvel e abrir o Evangelho. Neste Ano Litúrgico, estamos a ler o Evangelho de Marcos, o mais simples e curto. Por que não o fazer também em privado, meditando uma pequena passagem em cada dia?”, refere o texto, que foi lido no Vaticano pelo presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, D. Rino Fisichella.

O arcebispo italiano presidiu à Missa na Basílica de São Pedro, depois de o Papa ter alterado a sua agenda por causa de uma inflamação no nervo ciático, à imagem do que tinha acontecido no final de 2020, segundo informação da Santa Sé enviada aos jornalistas.

O ‘Domingo da Palavra’ foi  instituído a 30 de setembro de 2019 pelo Papa Francisco e fixado para o III domingo do Tempo Comum, como momento especialmente dedicado à “reflexão e divulgação da Palavra de Deus”, nas comunidades católicas.

Na sua homilia para esta celebração, o Papa pediu que a Bíblia tenha “um lugar digno” na casa de cada católico e esteja “sempre” com cada um, “no bolso, no telemóvel”.

“Não renunciamos à Palavra de Deus. É a carta de amor escrita para nós por Aquele que nos conhece como ninguém: lendo-a, voltamos a ouvir a sua voz, vislumbramos o seu rosto, recebemos o seu Espírito”, indicou.

Coloquemos o Evangelho num lugar onde nos lembremos de o abrir diariamente, talvez no começo e no final do dia, de tal modo que, no meio de tantas palavras que chegam aos nossos ouvidos, algum versículo da Palavra de Deus chegue ao coração”.

A Missa contou com a participação cerca de 100 pessoas na Basílica de São Pedro, incluindo uma leitura em braille e uma homenagem aos profissionais de saúde envolvidos na luta contra a Covid-19.

Foto: Vatican Media

Uma edição especial da Bíblia foi oferecida pelo próprio Papa, na Casa de Santa Marta, onde reside, a “representantes da variedade do Povo de Deus”, incluindo uma edição em braille do Evangelho de São Marcos, informou o Vaticano.

OC

Na recitação do ângelus, a que presidiu na biblioteca do Palácio Apostólico do Vaticano, ao meio-dia de Roma (menos uma em Lisboa), o Papa abordou o domingo dedicado à Palavra de Deus, saudando a “redescoberta da Sagrada Escritura” na vida da Igreja. 

“Nunca, como hoje, a Bíblia foi tão acessível a todos, em todas as línguas, e agora também em formatos audiovisuais e digitais”, indicou, numa intervenção transmitida online.

Francisco destacou a importância de rezar com a Bíblia, na Liturgia, na oração individual ou em grupo, “especialmente com os Evangelhos e os Salmos”.

O Papa agradeceu às paróquias pelo seu “compromisso constante para educar para a Palavra de Deus”.

“Que nunca nos falte a alegria de semear o Evangelho”, desejou.

Francisco voltou a pedir a cada católico que tenho um exemplar do Evangelho sempre à mão, no bolso, na mala.

“O Evangelho, sempre connosco”, insistiu.

Check Also

22 de fevereiro de 2021 – Festa da Cadeira de São Pedro, Apóstolo

Dos Sermões de São Leão Magno, papa (Sermão 4 sobre o aniversário da sua ordenação, …