Home | Liturgia Dominical | 6 de janeiro de 2019 – Solenidade da Epifania do Senhor – Ano C

6 de janeiro de 2019 – Solenidade da Epifania do Senhor – Ano C

LEITURA I – Is 60,1-6

Leitura do Livro de Isaías
Levanta-te e resplandece, Jerusalém, porque chegou a tua luz e brilha sobre ti a glória do Senhor. Vê como a noite cobre a terra e a escuridão os povos. Mas sobre ti levanta-Se o Senhor e a sua glória te ilumina. As nações caminharão à tua luz e os reis ao esplendor da tua aurora. Olha ao redor e vê: todos se reúnem e vêm ao teu encontro; os teus filhos vão chegar de longe e as tuas filhas são trazidas nos braços. Quando o vires ficarás radiante, palpitará e dilatar-se-á o teu coração, pois a ti afluirão os tesouros do mar, a ti virão ter as riquezas das nações. Invadir-te-á uma multidão de camelos, de dromedários de Madiã e Efá. Virão todos os de Sabá, trazendo ouro e incenso e proclamando as glórias do Senhor.

Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL – Salmo 71 (72)

Refrão: Virão adorar-Vos, Senhor, todos os povos da terra.

Ó Deus, concedei ao rei o poder de julgar
e a vossa justiça ao filho do rei.
Ele governará o vosso povo com justiça
e os vossos pobres com equidade.

Florescerá a justiça nos seus dias
e uma grande paz até ao fim dos tempos.
Ele dominará de um ao outro mar,
do grande rio até aos confins da terra.

Os reis de Társis e das ilhas virão com presentes,
os reis da Arábia e de Sabá trarão suas ofertas.
Prostrar-se-ão diante dele todos os reis,
todos os povos o hão-de servir.

Socorrerá o pobre que pede auxílio
e o miserável que não tem amparo.
Terá compaixão dos fracos e dos pobres
e defenderá a vida dos oprimidos.

 

LEITURA II – Ef 3,2-3a.5-6

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Efésios
Irmãos: Certamente já ouvistes falar da graça que Deus me confiou a vosso favor: por uma revelação, foi-me dado a conhecer o mistério de Cristo. Nas gerações passadas, ele não foi dado a conhecer aos filhos dos homens, como agora foi revelado pelo Espírito Santo aos seus santos apóstolos e profetas: os gentios recebem a mesma herança que os judeus, pertencem ao mesmo corpo e participam da mesma promessa, em Cristo Jesus, por meio do Evangelho.

Palavra do Senhor.

 

EVANGELHO – Mt 2,1-12

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo Mateus
Tinha Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, quando chegaram a Jerusalém uns Magos vindos do Oriente. «Onde está – perguntaram eles – o rei dos judeus que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-I’O». Ao ouvir tal notícia, o rei Herodes ficou perturbado e, com ele, toda a cidade de Jerusalém. Reuniu todos os príncipes dos sacerdotes e escribas do povo e perguntou-lhes onde devia nascer o Messias. Eles responderam: «Em Belém da Judeia, porque assim está escrito pelo Profeta: ‘Tu, Belém, terra de Judá, não és de modo nenhum a menor entre as principais cidades de Judá, pois de ti sairá um chefe, que será o Pastor de Israel, meu povo’». Então Herodes mandou chamar secretamente os Magos e pediu-lhes informações precisas sobre o tempo em que lhes tinha aparecido a estrela. Depois enviou-os a Belém e disse-lhes: «Ide informar-vos cuidadosamente acerca do Menino; e, quando O encontrardes, avisai-me, para que também eu vá adorá-I’O». Ouvido o rei, puseram-se a caminho. E eis que a estrela que tinham visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o Menino. Ao ver a estrela, sentiram grande alegria. Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe, e, prostrando-se diante d’Ele, adoraram-n’O. Depois, abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes: ouro, incenso e mirra. E, avisados em sonhos para não voltarem à presença de Herodes, regressaram à sua terra por outro caminho.

Palavra da Salvação.

 

Reflexão:

Estamos aqui reunidos porque temos fé. Caso contrário não santificaríamos o dia do Senhor, participando na Santa Missa. Mesmo que a Igreja não nos obrigasse, nós cumpriríamos sempre este dever de cristãos.
Ano Missionário
Ao longo deste Ano Missionário, de outubro de 2018 a outubro de 2019, façamos todos – bispos, padres, diáconos, consagrados e consagradas, adultos, jovens, adolescentes, crianças – a experiência da missão. Sair. Irmos até uma outra paróquia, uma outra diocese, um outro país em missão, para sentirmos que somos chamados por vocação a sermos universais, ou seja, a termos responsabilidade não só sobre a nossa comunidade, mas sobre o mundo inteiro.

Encontro pessoal com Jesus Cristo
Desde o início do seu pontificado, o Papa Francisco tem convidado todo o cristão, em qualquer lugar e situação, a renovar o seu encontro pessoal com Jesus Cristo, a tomar a decisão de se deixar encontrar por Ele e a procurá-l’O dia-a-dia, sem cessar. Repetidas vezes, no seguimento dos seus antecessores, tem lembrado que a ação missionária é o “paradigma de toda a obra da Igreja”. Assim sendo, não podemos ficar tranquilos, em espera passiva: é necessário passar de uma pastoral de mera conservação para uma pastoral decididamente missionária.
Com o “sonho missionário de chegar a todos”, o Santo Padre tem incentivado a ir às periferias, a ir até junto dos pobres, convidando os jovens a “fazer ruído”, a não “ficarem no sofá” a verem a vida a passar. Convida a Igreja a não ficar entre si sem correr riscos, mas ter a coragem de ser uma Igreja viva, acolhedora, dos excluídos e dos estrangeiros.

No centro desta iniciativa, que envolve a Igreja universal, estão a oração, o testemunho e a reflexão sobre a centralidade da missão como estado permanente do envio para a primeira evangelização (Mt 28,19). Trata-se de colocar a missão de Jesus no coração da própria Igreja, transformando-a em critério para medir a eficácia das estruturas, os resultados do trabalho, a fecundidade dos seus ministros e a alegria que são capazes de suscitar, porque sem alegria não se atrai ninguém.

Acreditamos em Deus
Por isso queremos viver em paz com Deus e com os irmãos.
A vontade de Deus está sempre em primeiro lugar. Podiam dar-nos todas as riquezas do mundo que nós nada quereríamos pois apenas Deus é tudo para nós.
Cumprimos os Seus Mandamentos e queremos dizer a todos os responsáveis dos governos nos diversos países do mundo que nenhuma lei deve contrariar a Lei de Deus.
Feliz o povo que vive segundo a Lei de Deus! Aí não haverá injustiças, nem ódio ou vingança, nem atentados ou guerras, nem violência alguma. Todos viverão em paz, amando-se uns aos outros como Deus nos ama.
Sonhar com um mundo assim poderá parecer uma utopia. Mas este sonho não é de agora. Já dura há dois mil anos. É verdade… Foi Cristo que veio ao encontro dos homens para os salvar. Muitos quiseram felicitá-l’O em Belém quando nasceu. Isaías já o tinha profetizado no Antigo Testamento (1.ª Leitura). O Evangelho descreve-nos a visita encantadora dos Magos que O adoraram e Lhe ofereceram ouro, incenso e mirra.
Jesus cresceu, chamou os Discípulos, fez milagres, anunciou a Boa Nova da Salvação. Em vez de Lhe agradecerem, os seus contemporâneos mataram-n’O, pregando-o na Cruz, pensando que assim calavam a Sua Palavra para sempre. Ai como se enganaram!…
Oferecemos a nossa vida ao Senhor
A partir de então quantos e quantos cristãos Lhe ofereceram as suas vidas, muitos deles com o martírio! Recordemos São Paulo, convertido e seduzido pelo Senhor, a anunciá-l’O apaixonadamente durante toda a vida! ( 2.ª Leitura )
Hoje queremos juntar-nos a todos esses santos para, juntos, tornarmos o mundo melhor.
Esta chama de amor nunca mais se apagará. Com o nosso exemplo e apostolado convidaremos as crianças e os jovens a amarem o Senhor e a transmitirem às gerações futuras esta mesma mensagem.
Avivemos a nossa Fé! Nunca duvidemos! As tentações para o desânimo acompanhar-nos-ão ao longo da vida. Venceremos porque tudo podemos com a graça do Senhor.
Maria Santíssima aderiu sem reservas à vontade de Deus, sendo Mãe de Jesus, nosso Salvador. Que esteja sempre connosco como nossa querida Mãe e seremos eternamente felizes!

Oração Universal ou dos Fiéis

Caríssimos irmãos: Oremos juntos ao Pai, que está nos céus, pedindo-Lhe que faça brilhar sobre os homens a sua luz de verdade e de vida, dizendo (ou: cantando), com alegria:

R. Iluminai, Senhor, a terra inteira.
Ou: Toda a terra Vos adore, Senhor Deus do Universo.
Ou: Ouvi, Senhor, a nossa oração.

1. Pela Igreja e por todos os seus filhos,
para que sejam luz que ilumina,
ao proclamarem as glórias do Senhor,
oremos, irmãos.

2. Pelos bispos, presbíteros e diáconos,
e por todos os anunciadores da Boa Nova,
para que a tornem atraente em suas palavras,
oremos, irmãos.

3. Pelos que não chegaram ainda à luz da fé,
para que, seguindo a estrela de Belém,
possam vir a adorar o Salvador,
oremos, irmãos.

4. Por aqueles que, sem descanso e sem fadiga,
trabalham pela concórdia e pela paz,
para que a vejam despontar no horizonte,
oremos, irmãos.

5. Por todos nós que aqui nos reunimos,
para que aprendamos a saborear intimamente
o mistério que nos foi dado a conhecer,
oremos, irmãos.

(Outras intenções: crianças que vão comungar este ano pela primeira vez …).

Senhor, nosso Deus e nosso Pai, a quem os homens não procurariam se antes não Vos tivessem encontrado, fazei que a nossa maneira de viver nos leve a contemplar a vossa glória. Por Cristo Senhor nosso.

Check Also

3 de março de 2019 – 8º Domingo do Tempo Comum – Ano C

LEITURA I Sir 27, 5-8 (gr. 4-7) Leitura do Livro de Ben-Sirá Quando agitamos o …