26 de setembro de 2021 – Liturgia do 26º Domingo do Tempo Comum – Ano B

LEITURA I Num 11, 25-29

Leitura do Livro dos Números

Naqueles dias, o Senhor desceu na nuvem e falou com Moisés. Tirou uma parte do Espírito que estava nele e fê-lo poisar sobre setenta anciãos do povo. Logo que o Espírito poisou sobre eles, começaram a profetizar; mas não continuaram a fazê-lo. Tinham ficado no acampamento dois homens: um deles chamava-se Eldad e o outro Medad.
O Espírito poisou também sobre eles, pois contavam-se entre os inscritos, embora não tivessem comparecido na tenda; e começaram a profetizar no acampamento. Um jovem correu a dizê-lo a Moisés: «Eldad e Medad estão a profetizar no acampamento». Então Josué, filho de Nun, que estava ao serviço de Moisés desde a juventude, tomou a palavra e disse: «Moisés, meu senhor, proíbe-os». Moisés, porém, respondeu-lhe: «Estás com ciúmes por causa de mim? Quem dera que todo o povo do Senhor fosse profeta e que o Senhor infundisse o seu Espírito sobre eles!».

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL Salmo 18 (19), 8.10.12-13.14 (R. 9a)

Refrão: Os preceitos do Senhor alegram o coração.

A lei do Senhor é perfeita,
ela reconforta a alma.
As ordens do Senhor são firmes,
dão a sabedoria aos simples.

O temor do Senhor é puro
e permanece eternamente;
os juízos do Senhor são verdadeiros,
todos eles são rectos.

Embora o vosso servo se deixe guiar por eles
e os observe com cuidado,
quem pode, entretanto, reconhecer os seus erros?
Purificai-me dos que me são ocultos.

Preservai também do orgulho o vosso servo,
para que não tenha poder algum sobre mim:
então serei irrepreensível
e imune de culpa grave

 

LEITURA II Tg 5, 1-6

Leitura da Epístola de São Tiago

Agora, vós, ó ricos, chorai e lamentai-vos, por causa das desgraças que vão cair sobre vós. As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas pela traça. O vosso ouro e a vossa prata enferrujaram-se, e a sua ferrugem vai dar testemunho contra vós e devorar a vossa carne como fogo. Acumulastes tesouros no fim dos tempos. Privastes do salário os trabalhadores que ceifaram as vossas terras. O seu salário clama; e os brados dos ceifeiros chegaram aos ouvidos do Senhor do Universo. Levastes na terra uma vida regalada e libertina, cevastes os vossos corações para o dia da matança. Condenastes e matastes o justo, e ele não vos resiste.

Palavra do Senhor

 

EVANGELHO Mc 9, 38-43.45.47-48

+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos

Naquele tempo, João disse a Jesus: «Mestre, nós vimos um homem a expulsar os demónios em teu nome e procurámos impedir-lho, porque ele não anda connosco». Jesus respondeu: «Não o proibais; porque ninguém pode fazer um milagre em meu nome e depois dizer mal de Mim Quem não é contra nós é por nós. Quem vos der a beber um copo de água, por serdes de Cristo, em verdade vos digo que não perderá a sua recompensa. Se alguém escandalizar algum destes pequeninos que crêem em Mim, melhor seria para ele que lhe atassem ao pescoço uma dessas mós movidas por um jumento e o lançassem ao mar. Se a tua mão é para ti ocasião de escândalo, corta-a;
porque é melhor entrar mutilado na vida do que ter as duas mãos e ir para a Geena, para esse fogo que não se apaga.
E se o teu pé é para ti ocasião de escândalo, corta-o; porque é melhor entrar coxo na vida do que ter os dois pés e ser lançado na Geena. E se um dos teus olhos é para ti ocasião de escândalo, deita-o fora; porque é melhor entrar no reino de Deus só com um dos olhos do que ter os dois olhos e ser lançado na Geena, onde o verme não morre e o fogo nunca se apaga».

Palavra da salvação.

 

REFLEXÃO

O Senhor chamou-nos e nós viemos ao Seu encontro. Hoje Ele quer pedir a nossa colaboração para afastarmos o mal do mundo, para sermos bons uns para com os outros e para vivermos no Seu Amor.

Quem não é contra nós é por nós

No passado Domingo, S. Marcos falou-nos dos Apóstolos, discutindo uns com os outros sobre quem seria o maior. Jesus ensinou que na sua Igreja não se deve lutar pelo poder, mas trabalhar para servir: “Quem quiser ser o primeiro seja o servo de todos.” (Mc9,30-37). S. Marcos disse que os Apóstolos ficaram calados, talvez envergonhados, mas Jesus vai ensinar-lhes a ter um horizonte muito mais largo. O Evangelho diz que Jesus caminhava com os discípulos. Aconteceu que alguém que não era do grupo fazia milagres em nome de Jesus. S. João queixa-se a Jesus. Para compreendermos melhor esta reacção lembro que em Marcos 9, 18 os Apóstolos não foram capazes de expulsar o demónio que atormentava uma criança. Voltando à leitura de hoje: “Vimos alguém a expulsar espíritos maus em Teu Nome. Nós quisemos impedir porque ele não é daqueles que nos segue”. Jesus respondeu: “Não impeçam. Quem não é contra nós é por nós.” A reacção dos Apóstolos revela algum ciúme e desejos de superioridade. Jesus tinha aconselhado os Seus discípulos a estarem ao serviço e a não procurarem os primeiros lugares e eis que a reacção dos discípulos revela a vontade de ter o monopólio sobre o poder do Nome de Jesus. Este episódio lembra-nos a primeira leitura, escolhida para compreendermos melhor o Evangelho: Josué, servo de Moisés, também queria impedir que profetizassem aqueles que ficaram no acampamento e não vieram à tenda da reunião. Mas Moisés respondeu: “Quem dera que todo o Povo de Deus fosse profeta.”

A graça divina não se limita às fronteiras visíveis da Igreja! Na vida de todos os dias podem acontecer situações parecidas às que nos foram descritas nas leituras da Missa de hoje. Temos tendência a dizer: “mas eles não são do nosso grupo, eles não são católicos praticantes”. Irmãos, exultemos de alegria com a universalidade da salvação oferecida a todos os povos. O Espírito Santo sopra livremente como o vento (Jo 3, 8). Eis o que ensina a Igreja: Não se pode aprisionar o Espírito Santo: “No seio da Igreja façamos progredir a estima e o respeito por todas as diversidades legítimas. Estejamos abertos a todos os que não vivem em total comunhão connosco, mas que têm valores religiosos e humanos de muito valor” (GS 92).

 Na segunda parte do Evangelho Jesus dá conselhos aos discípulos. Conselhos positivos: dar de beber um copo de água. Conselhos negativos: não escandalizar ninguém. Jesus faz-nos compreender a sua grandeza de espírito, exortando-nos a um comportamento semelhante ao seu: “Dou-vos um mandamento novo, amai-vos uns aos outros como eu vos amei.” Jesus pede-nos que façamos o bem e aceitemos o bem que os outros fazem à nossa volta; a tolerância de Jesus não significa indiferença ao mal. Jesus indigna-se contra aqueles que praticam o mal e provocam escândalo. (Conf Noel Quesson, Parole de Dieu pour chaque dimanche Année B) As palavras de Jesus são sérias, e mesmo dramáticas: “Se alguém escandalizar algum destes pequeninos que acreditam em mim, melhor seria para ele que lhe atassem ao pescoço uma dessas mós e o lançassem ao mar.” Só Jesus conhece verdadeiramente o que é o pecado: “Fomos resgatados pelo seu sangue”. A vida eterna merece todos os sacrifícios: “É melhor entrar na vida eterna… do que ser lançado na Geena, onde o fogo não se apaga.”

 

ORAÇÃO UNIVERSAL OU DOS FIÉIS 

Irmãs e irmãos em Cristo:
Atentos aos apelos de Deus Pai e movidos pela acção do Espírito Santo, oremos pela Igreja, pelos homens e pelo mundo, pedindo (ou: cantando), com toda a confiança:

R. Ouvi-nos, Senhor.
Ou: Pela vossa misericórdia, salvai-nos, Senhor.
Ou: Senhor, nosso refúgio, ouvi-nos.

1. Pela Diocese de N., suas paróquias e fiéis,
pelos seus pastores e comunidades religiosas
e por aqueles que não professam a mesma fé,
oremos.

2. Pelos homens que são conduzidos pelo Espírito,
pelos que fecham o coração aos seus apelos
e pelos que têm inveja dos dons alheios,
oremos.

3. Por aqueles que no dinheiro têm o seu deus,
pelos trabalhadores privados de salário
e pelos que morrem por não terem que comer,
oremos.

4. Pelos que se julgam depositários da verdade,
pelos que se deixam escravizar pelas paixões
e pelas crianças escandalizadas pelos adultos,
oremos.

5. Pelos professores e alunos de todas as escolas,
pelos que vão entrar no último ano de estudos
e pelos que já terminaram, mas estão desempregados,
oremos.

6. Pelos que, entre nós, são imagem de Jesus,
pelos que rejeitam a intolerância e a vaidade
e pelos que procuram ser fiéis ao Evangelho,
oremos.

(Outras intenções: leigos da nossa Diocese; grandes problemas mundiais …).

Senhor, nosso Deus,
dai a cada homem um coração que se deixe conduzir pelo Espírito, e que acolha, com alegria, a Boa Nova anunciada pelo vosso Filho.
Ele que vive e reina por todos os séculos dos séculos.

Check Also

3 de outubro de 2021 – Liturgia do 27º Domingo do Tempo Comum – Ano B

LEITURA I Gen 2, 18-24 Leitura do Livro do Génesis Disse o Senhor Deus: «Não …