26 de julho de 2020 – 17º Domingo do Tempo Comum – Ano A

 

LEITURA I 1 Reis 3, 5.7-12

 

Leitura do Primeiro Livro dos Reis

Naqueles dias, o Senhor apareceu em sonhos a Salomão durante a noite e disse-lhe: «Pede o que quiseres». Salomão respondeu: «Senhor, meu Deus, Vós fizestes reinar o vosso servo em lugar do meu pai David, e eu sou muito novo e não sei como proceder. Este vosso servo está no meio do povo escolhido, um povo imenso, inumerável, que não se pode contar nem calcular. Dai, portanto, ao vosso servo um coração inteligente, para governar o vosso povo, para saber distinguir o bem do mal; pois, quem poderia governar este vosso povo tão numeroso?». Agradou ao Senhor esta súplica de Salomão e disse-lhe: «Porque foi este o teu pedido, e já que não pediste longa vida, nem riqueza, nem a morte dos teus inimigos, mas sabedoria para praticar a justiça, vou satisfazer o teu desejo. Dou-te um coração sábio e esclarecido, como nunca houve antes de ti nem haverá depois de ti».

 

Palavra do Senhor.

 

 

SALMO RESPONSORIAL Salmo 118 (119), 57.72.76-77.127-128.129-130 (R . 97a )

 

Refrão: Quanto amo, Senhor, a vossa lei!

 

Senhor, eu disse: A minha herança

é cumprir as vossas palavras.

Para mim vale mais a lei da vossa boca

do que milhões em ouro e prata.

 

Console-me a vossa bondade,

segundo a promessa feita ao vosso servo.

Desçam sobre mim as vossas misericórdias e viverei,

porque a vossa lei faz as minhas delícias.

 

Por isso, eu amo os vossos mandamentos,

mais que o ouro, o ouro mais fino.

Por isso, eu sigo todos os vossos preceitos

e detesto todo o caminho da mentira.

 

São admiráveis as vossas ordens,

por isso, a minha alma as observa.

A manifestação das vossas palavras ilumina

e dá inteligência aos simples.

 

 

LEITURA II Rom 8, 28-30

 

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos

Irmãos: Nós sabemos que Deus concorre em tudo para o bem daqueles que O amam, dos que são chamados, segundo o seu desígnio. Porque os que Ele de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que Ele seja o Primogénito de muitos irmãos. E àqueles que predestinou, também os chamou; àqueles que chamou, também os justificou; e àqueles que justificou, também os glorificou.

 

Palavra do Senhor.

 

 

EVANGELHO Forma longa Mt 13, 44-52

 

+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «O reino dos Céus é semelhante a um tesouro escondido num campo. O homem que o encontrou tornou a escondê-lo e ficou tão contente que foi vender tudo quanto possuía e comprou aquele campo. O reino dos Céus é semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas. Ao encontrar uma de grande valor, foi vender tudo quanto possuía e comprou essa pérola. O reino dos Céus é semelhante a uma rede que, lançada ao mar, apanha toda a espécie de peixes. Logo que se enche, puxam-na para a praia e, sentando-se, escolhem os bons para os cestos, e o que não presta deitam-no fora. Assim será no fim do mundo: os Anjos sairão a separar os maus do meio dos justos e a lançá-los na fornalha ardente. Aí haverá choro e ranger de dentes. Entendestes tudo isto?». Eles responderam-Lhe: «Entendemos». Disse-lhes então Jesus: «Por isso, todo o escriba instruído sobre o reino dos Céus é semelhante a um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e coisas velhas».

 

Palavra da salvação.

 

REFLEXÃO:

Como seres inteligentes que somos, queremos fazer em cada momento, o melhor aproveitamento do tempo que Deus, nosso Pai, nos vai concedendo viver. Para não nos enganarmos, precisamos de alguém que nos ajude nas nossas opções. Jesus, nosso grande e fiel Amigo, fala-nos hoje dum tesouro que todos devemos procurar descobrir, vencendo todos os obstáculos que surjam, para o conquistar.

 

  1. Quanto amo Senhor a vossa Lei!

Quanto amo Senhor a vossa Lei! Afirmámos há momentos. E este amor à Lei do Senhor será tanto maior quanto maior for também a compreensão que tivermos dessa mesma Lei.

A Lei do Senhor é a Lei do melhor dos pais. Tem em mente a nossa verdadeira felicidade – aquela que todos mais desejamos. Encontrar e executar essa Lei é possuir o melhor dos tesouros, a melhor das pérolas. Por ela vale a pena deixar tudo. Dessa importância nos falam de uma maneira especial as Leituras da Missa de hoje. Para compreender o real valor da Lei do Senhor, é necessário a virtude essencial da Sabedoria. Por isso a pediu Salomão. Deus ficou contente com o seu pedido.  Com a Sabedoria o Senhor deu-lhe também a riqueza, o poder e uma vida longa. Como Deus é generoso para quem sabe a Ele entregar-se, a Ele se confiar!

Sem a Sabedoria, corremos o risco de nos agarrarmos a coisas passageiras, verdadeiras quimeras, a darmos valor a coisas que o não têm. Aqui reside o engano de quem julga encontrar a máxima segurança da vida nas riquezas, no poder, nas paixões. Puro engano! Tal é fruto do orgulho que cega os homens, levando-os pelos caminhos errados da vida.

 

  1. Dar importância ao que verdadeiramente vale a pena é seguir o exemplo dos Santos.

Quem tem uma pérola é importante saber o seu real valor, caso contrário corre o risco de a desperdiçar e mesmo a perder. As parábolas contadas por Jesus no Evangelho de hoje, chamam a nossa atenção para o verdadeiro valor das coisas. É á luz desta Palavra de Deus que tem explicação a atitude de Santo Antão, S. Francisco de Assis e tantos e tantos outros irmãos nossos que tudo deixaram, para se darem de alma e coração a Deus-Pai.

O que mais importante temos na vida é precisamente salvar a mesma vida – a salvação eterna. Para obter esta riqueza vale bem a pena deixar tudo, se tal for necessário, como já o fizeram com pleno êxito os nossos irmãos, os Santos. Vale bem a pena dar a vida terrena, se necessário for, para obter a vida eterna.

 

  1. O que é verdadeiramente importante é mesmo a salvação eterna.

A salvação eterna, para a qual todos fomos chamados à vida, por Deus, nosso Pai, será uma realidade para quem seguir a Lei do Senhor. E os mandamentos do Senhor resumem-se em amar a Deus sobre todas as coisas e o próximo como nós mesmos, seja ele qual for, por Seu amor. É pelo Amor que um dia seremos julgados: ”Vinde benditos de Deus Pai…”

O reino dos céus, para o qual todos fomos criados é o Reino do Amor.  Só quem verdadeiramente ama está a fazer bom aproveitamento do tempo que o Senhor lhe concedeu viver. Podemos mesmo dizer que só verdadeiramente vivemos na medida em que amarmos. E o nosso amor pelos outros poderá mesmo só traduzir-se na oração. Nossa Senhora em Fátima afirmou ”que vão muitas almas para o inferno por não haver quem reze e sacrifique por elas”.  Todos, mesmo os doentes e velhinhos podem e devem rezar e oferecer os seus sofrimentos pela conversão dos pecadores, pela paz no mundo e por todas as necessidades da humanidade. Este meio maravilhoso de amar está pois acessível a todos.

Que o Senhor nos conceda a Sabedoria de que precisamos para não nos enganarmos nos caminhos da vida, cumprirmos com generosidade e alegria a santa Lei do Senhor, “A vossa lei faz as minhas delícias… Eu amo os vossos mandamentos mais que o ouro, o ouro mais fino” – dizia o salmista. Se assim fizermos, pela misericórdia infinita do Senhor, sempre necessária, chegaremos ao Reino dos Céus, para o qual todos fomos criados. Então veremos quanto valeu, na vida terrena, ter amado verdadeira e sinceramente a Lei do Senhor.

 

 

 

Oração Universal ou dos Fiéis

 

Unidos no Espírito Santo, peçamos, irmãs e irmãos, a Deus Pai, para nós e para os outros fiéis, os dons que Ele tem preparados para todos, dizendo (ou: cantando), com fé e humildade:

 

  1. Abençoai, Senhor, o vosso povo.

Ou: Ouvi, Senhor, a nossa oração.

Ou: Pela vossa misericórdia, ouvi-nos, Senhor.

 

  1. Pela Igreja santa e pela sua unidade,

pela nossa Igreja particular e pela sua santidade,

pelos ministros que a servem e por todos os seus fiéis,

oremos.

 

  1. Pelos que têm de julgar e pelos que são julgados,

pelos que procuram, mas não encontram,

pelos que estão alegres e pelos que choram,

oremos.

 

  1. Por aqueles que têm fé e pelos descrentes,

pelos que fazem de Deus o seu tesouro

e por todos os que O negam e ofendem,

oremos.

 

  1. Pelos que estudam e pelos que ensinam,

pelos avós, pelos pais e pelos filhos,

pelos jovens, os adolescentes e as crianças,

oremos.

 

  1. Por nós próprios e pelos outros baptizados,

pelos leitores que proclamam a palavra de Deus

e pelos acólitos que servem o altar da Eucaristia,

oremos.

 

 

(Outras intenções: emigrantes e famílias em férias; defuntos …).

 

 

D eus todo-poderoso e eterno,

que ofereceis a salvação a todos os homens e mulheres e não quereis que nenhum deles se perca, fazei que os acontecimentos deste mundo concorram para o bem dos que Vos amam.

Por Cristo Senhor nosso.

 

 

PROPOSTA DE CÂNTICOS PARA A CELEBRAÇÃO

 

Cântico de Entrada: Eu sou a Salvação do meu povo (Carlos Silva) 

 

Salmo Responsorial: Quanto amo Senhor a Vossa Lei (M. Luís)

 

Cântico do Ofertório: Na hóstia sobre a patena (Carlos Silva) 

 

Cântico da Comunhão: Bem-aventurados os que têm fome (M. Luís ) 

 

Cântico de Ação de Graças: Cantarei ao Senhor por tudo (F. Silva) 

 

Cântico Final: Glória ao Pai que nos criou (Carlos Silva)

Check Also

19 de julho de 2020 – 16º Domingo do Tempo Comum – Ano A

LEITURA I Sab 12, 13.16-19 Leitura do Livro da Sabedoria Não há Deus, além de …