22 de janeiro de 2023 – Liturgia do 3º Domingo do Tempo Comum -Ano A

1) Jesus começou a pregar

O Papa Francisco determinou que este domingo fosse, em cada ano, o domingo da Palavra de Deus. Todos os domingos vimos à missa para ouvir a Palavra de Jesus mas podemos habituar-nos e não dar conta da maravilha que é poder ouvir a Jesus e enriquecer-nos com os Seus ensinamentos. Eles são luz para a nossa vida e mostram-nos o caminho para sermos felizes cá na terra e podermos alcançar a felicidade plena um dia no céu.

No Evangelho conta-nos S.Mateus que Jesus começou a Sua pregação na Galileia nas margens do Lago de Tiberíades. Diz-nos quais foram as Suas primeiras palavras: arrependei-vos porque o Reino de Deus está próximo. Jesus convida à conversão, ao arrependimento dos pecados, para acolher o Reino de Deus.

A Palavra de Deus mexe com a nossa vida, indica-nos o caminho que devemos seguir. Jesus tem palavras de vida eterna e temos de acolhê-las e acreditar no que nos diz. É pela fé que abrimos o nosso coração aos Seus ensinamentos. Passamos a vida a acreditar nos que nos rodeiam e que muitas vezes se enganam ou nos enganam. Jesus é o único que sabe tudo e nos ensina sempre a verdade.

 Ele disse: Eu sou o caminho, a verdade e a vida (Jo 14, 6). Ele é a verdade que devemos conhecer. É o Verbo de Deus, a Palavra viva e eterna do Pai. Deus, tendo falado outrora a nossos pais pelos profetas, nestes tempos que são últimos falou-nos por Seu Filho (Heb 1, 1).

Veio dar-nos a conhecer tudo o que o Pai quer para nos salvarmos.

Ele é o caminho. Não só nos ensina o que devemos fazer, como devemos viver, mas Ele próprio nos ensina com o exemplo da Sua vida.

Ele nos enche com a Sua graça para podermos viver como filhos de Deus cá terra. Ele é a fonte da vida, que nos ganhou com o Seu Sangue.

 

2) Farei de vós pescadores de homens

O Evangelho fala-nos do chamamento dos primeiros discípulos: Pedro e André, Tiago e João, que eram pescadores no Mar da Galileia. Jesus diz-lhes que daí para diante serão pescadores de homens, encarregados de pescarem almas para Deus. Nos Apóstolos quis apoiar a Sua igreja, encarregada de transmitir a Sua Palavra a todos os povos ao longo dos séculos. Jesus ensinou-os durante três anos, deu-lhes o poder de pregar em Seu nome, de guiar as pessoas no cumprimento da vontade de Deus e de comunicar a graça através dos sacramentos.

Disse a Pedro: Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não levarão a melhor contra ela (Mt 16, 16). Jesus garante a indefectibilidade da Igreja, não se afastará da verdade, não se deixará vencer pelo demónio. Ela prega a palavra de Deus com autoridade e segurança, porque nela está o Espírito Santo para a guiar na verdade.

O Senhor quis que muitas das coisas que ensinou fossem escritas na Bíblia pelos Apóstolos e seus discípulos, guiados pelo Espírito Santo. As leituras da missa são tiradas da Sagrada Escritura, do Novo e do Antigo Testamento.

Além da proclamação em cada missa devemos ler e meditar a Bíblia em nossa casa. Devemos ler e meditar de modo especial os Santos Evangelhos que nos contam a vida e as palavras de Jesus.

Santo Agostinho, antes da sua conversão, encontrava-se no jardim da sua casa em Milão quando ouviu uma voz de criança que cantava: toma e lê, toma e lê. Pensou que fosse alguma cantilena de crianças, mas não se recordava de alguma vez a ter ouvido. Entrou em casa e abriu a Sagrada Escritura ao acaso e encontrou-se com a frase de S.Paulo: Já é hora de se levantar e despertar do sono(Rom.18, 11).Foi para ele o empurrão decisivo para se converter e receber o baptismo.

 

3) Unidos no mesmo pensar e no mesmo agir

 S.Paulo lembrava aos cristãos de Corinto: Rogo-vos em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo que faleis todos a mesma linguagem e que não haja divisões entre vós, permanecendo bem unidos no mesmo pensar e no mesmo agir (2ª leit). Nas coisas da fé, naquilo que Jesus ensinou todos temos de manter essa unidade. A Igreja formulou os símbolos da Fé desde os primeiros séculos para evitar confusões e divisões. O Credo, proclamado no Concílio de Niceia, em 325 e completado no de Constantinopla, em 381 resume as verdades principais da fé, que confessamos todos os domingos

É para nós um guia para entender as verdades ensinadas por Jesus e pregadas pela Igreja.

Jesus prometeu o Espírito Santo à Sua Igreja para a guiar na verdade. Deu a Pedro e aos seus sucessores uma garantia de transmitirem a Sua doutrina sem erro. Eu rezei por ti –disse Jesus a Pedro-para que a tua fé não desfaleça e tu confirma os teus irmãos (Lc 22, 32).

Leiamos a Sagrada Escritura, meditemos os Santos Evangelhos, escutemos com atenção a pregação dos bispos e sacerdotes. Estudemos o Catecismo da Igreja Católica que tem a garantia de nos apresentar a doutrina de Jesus.

A Palavra de Deus há-de ser alimento para a nossa vida cristã e luz que ilumina o nosso viver.

Nossa Senhora é para nós modelo. O Evangelho diz que Maria conservava todas aquelas coisas que ouvia e as meditava em Seu coração (cfr Lc 2, 19).

Check Also

Vaticano: Mensagem para a Vida Consagrada centra-se na missão e incentiva a «alargar a tenda»

Cardeal D. João Braz de Aviz vai presidir à Missa do dia 2 de fevereiro …