21 de junho de 2020 – 12º Domingo do Tempo Comum – Ano A

LEITURA I Jer 20, 10-13

Leitura do Livro do profeta Jeremias

Disse Jeremias: «Eu ouvia as invectivas da multidão: ‘Terror por toda a parte! Denunciai-o, vamos denunciá-lo!’. Todos os meus amigos esperavam que eu desse um passo em falso: ‘Talvez ele se deixe enganar, e assim o poderemos dominar e nos vingaremos dele’. Mas o Senhor está comigo como herói poderoso, e os meus perseguidores cairão vencidos. Ficarão cheios de vergonha pelo seu fracasso, ignomínia eterna que não será esquecida. Senhor do Universo, que sondais o justo e perscrutais os rins e o coração, possa eu ver o castigo que dareis a essa gente, pois a Vós confiei a minha causa. Cantai ao Senhor, louvai o Senhor, que salvou a vida do pobre das mãos dos perversos».

 

Palavra do Senhor.

 

 

SALMO RESPONSORIAL Salmo 68 (69), 8-10.14.17. 33-35 (R. 14c)

Refrão: Pela vossa grande misericórdia, atendei-me, Senhor.

 

Por Vós tenho suportado afrontas,

cobrindo-se meu rosto de confusão.

Tornei-me um estranho para os meus irmãos,

um desconhecido para a minha família.

Devorou-me o zelo pela vossa casa,

e recaíram sobre mim os insultos contra Vós.

 

A Vós, Senhor, elevo a minha súplica,

no momento propício, meu Deus.

Pela vossa grande bondade, respondei-me,

em prova da vossa salvação.

Tirai-me do lamaçal, para que não me afunde,

livrai-me dos que me odeiam e do abismo das águas.

 

Vós, humildes, olhai e alegrai-vos,

buscai o Senhor e o vosso coração se reanimará.

O Senhor ouve os pobres

e não despreza os cativos.

Louvem-n’O o céu e a terra,

os mares e quanto neles se move.

 

 

LEITURA II Rom 5, 12-15

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos

Irmãos: Assim como por um só homem entrou o pecado no mundo e pelo pecado a morte, assim também a morte atingiu todos os homens, porque todos pecaram. De facto, até à Lei, existia o pecado no mundo. Mas o pecado não é levado em conta, se não houver lei. Entretanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, mesmo para aqueles que não tinham pecado por uma transgressão à semelhança de Adão, que é figura d’Aquele que havia de vir. Mas o dom gratuito não é como a falta. Se pelo pecado de um só todos pereceram, com muito mais razão a graça de Deus, dom contido na graça de um só homem, Jesus Cristo, se concedeu com abundância a todos os homens.

 

Palavra do Senhor.

 

 

EVANGELHO Mt 10, 26-33

+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos: «Não tenhais medo dos homens, pois nada há encoberto que não venha a descobrir-se, nada há oculto que não venha a conhecer-se. O que vos digo às escuras, dizei-o à luz do dia; e o que escutais ao ouvido proclamai-o sobre os telhados. Não temais os que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Temei antes Aquele que pode lançar na geena a alma e o corpo. Não se vendem dois passarinhos por uma moeda? E nem um deles cairá por terra sem consentimento do vosso Pai. Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Portanto, não temais: valeis muito mais do que todos os passarinhos. A todo aquele que se tiver declarado por Mim diante dos homens, também Eu Me declararei por ele diante do meu Pai que está nos Céus. Mas àquele que Me negar diante dos homens, também Eu o negarei diante do meu Pai que está nos Céus».

 

Palavra da salvação.

 

 

Reflexão

A liturgia lembra a dificuldade que existe para quem é chamado a dar a conhecer o projeto de Deus no mundo. Mas garante também que a solicitude de Deus não abandona aqueles que dão testemunho da salvação.

 

Não temais os que matam o corpo

Jesus, ao enviar os seus discípulos a anunciar a Boa Nova, previne-os de que irão encontrar oposição, como Ele encontrou. Dizia-lhes: “O discípulo não é mais que o Mestre.” (Mat 10, 24) Mas tranquilizava-os: “Não temais”. É como quem diz: Tende bom ânimo, tende confiança. “Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.” (Jn 20,21) Jesus envia-os ao mundo como ovelhas para o meio de lobos, mas assegura-lhes o seu amor, a sua presença e protecção e o bom resultado da pregação. “Em verdade, em verdade vos digo: Fareis as obras que Eu faço e fareis obras ainda maiores porque Eu vou para o Pai.” (Jo 14,12) Jesus intercede por nós junto do Pai.

A primeira leitura apresenta-nos o exemplo do profeta Jeremias. Deus enviou-o à cidade santa para anunciar uma mensagem de destruição. O Profeta convidava os habitantes de Jerusalém à conversão de costumes. A sua mensagem era muito dura, pois anunciava a destruição da cidade e a deportação dos seus habitantes. Eles não acreditavam que isso fosse possível porque tinham lá o Templo do Senhor. Jeremias sofreu a perseguição da classe dirigente de Jerusalém; no entanto, não deixou de confiar em Deus: “O Senhor está comigo como um valente guerreiro para me proteger.” Cheio de coragem anunciou com coerência e fidelidade a mensagem divina: “Assim fala o Senhor: Eu entregarei todos os tesouros dos reis de Judá e os habitantes de Jerusalém nas mãos do rei de Babilónia, que os deportará para Babilónia.” Cf Jer 20, 4-5)

Na Nova Aliança, Os Apóstolos foram encarregados de anunciar uma mensagem cheia de esperança e consolação: Jesus é nome que salva. Cheios do Espírito Santo os Apóstolos anunciavam corajosamente “que Jesus é a pedra rejeitada pelos construtores, mas que veio a tornar-se pedra angular. E não há salvação em mais ninguém, porque não existe debaixo do céu outro nome dado aos homens, pelo qual possamos ser salvos.” (Actos 4,11-12) Anunciavam que Deus oferece a Salvação a quem acredita que Jesus é o Senhor.

Tal como acontecera aos profetas e como aconteceu ao próprio divino Mestre, os Apóstolos também tiveram de enfrentar a hostilidade das autoridades judaicas: “Já vos proibimos formalmente de falar em nome de Jesus.” Sabemos que os Apóstolos foram açoitados, encarcerados, mas estavam felizes pois tinham merecido ser ultrajados pelo nome de Jesus. (Cf Actos 5,27.34-32) Jesus bem sabia das dificuldades que eles iriam enfrentar. Por isso falou-lhes abertamente: “Se me perseguiram a mim, também vos perseguirão a vós, mas não tenhais medo dos homens”.

  1. Paulo dirá a Timóteo: Proclama a Palavra, insiste oportuna e inoportunamente, repreende, ameaça, exorta com toda paciência. (2 Tim 4, 2)

Os Apóstolos confiavam plenamente na Palavra de Jesus, que no Evangelho de hoje, repete por três vezes: “Não tenhais medo. Não temais. Não temais os que matam o corpo, mas não podem matar a alma.” Tenhamos uma confiança sem limites na divina Providência porque: “Até os cabelos da nossa cabeça estão todos contados.” Deus está presente mesmo nos pequenos acontecimentos do dia a dia. O Pai celeste alimenta as aves do Céu e cuida das flores dos campos. Deus ama todas as criaturas, mas nós somos seus filhos e “valemos mais do que todos os passarinhos.” Somos testemunhas da bondade de Deus diante dos homens, enquanto estamos neste mundo. Jesus nos defende e nos recompensará, quando chegarmos à Pátria, apresentando-nos a seu eterno Pai: “A todo aquele que se tiver declarado por Mim diante dos homens, também Eu Me declararei por ele diante do meu Pai que está nos Céus.”

 

Oração Universal ou dos Fiéis

 

Irmãs e irmãos em Cristo:

Elevemos as nossas preces ao Senhor, que, pela sua grande misericórdia, pode libertar a vida dos pobres, e peçamos com fé (cantando):

 

  1. Ouvi-nos, Senhor.

Ou: Senhor, nós temos confiança em Vós.

Ou: Senhor, vinde em nosso auxílio.

 

 

  1. Pelo nosso Bispo N., presbíteros e diáconos,

para que dirijam a Igreja de N. com sabedoria,

no caminho da santidade e da salvação,

oremos.

 

 

  1. Pelos governos e autoridades deste mundo,

para que digam a verdade aos cidadãos

e não se sirvam do poder em seu proveito,

oremos.

 

 

  1. Pelos que lutam por mais justiça e bem-estar,

para que o façam segundo o Evangelho

e defendam corajosamente quem é mais fraco,

oremos.

 

 

  1. Por aqueles a quem Deus chama no seu íntimo,

para que busquem com ardor os bens eternos

e se declarem por Jesus em toda a parte,

oremos.

 

 

  1. Por nós próprios que escutámos a Palavra,

para experimentarmos o perdão de Deus,

que supera todos os nossos pecados,

oremos.

 

 

(Outras intenções: defuntos que amaram o Senhor servindo o próximo …).

 

 

 

 

Reunidos, Pai santo, em assembleia,

celebramos a grande indulgência que veio até nós em vosso Filho Jesus Cristo, e Vos pedimos que, por seus méritos infinitos, nos perdoeis todos os pecados e as suas penas.

Por Cristo Senhor nosso.

 

 

 

Proposta de Cânticos para a Celebração

 

Cântico de Entrada: Sede a Rocha do meu Refúgio Senhor (M. Simões) 

 

Salmo: Pela vossa grande misericórdia (Carlos Silva)

 

Ofertório: Subam até Vós Senhor (M. Luís)

 

Comunhão: O Cordeiro de Deus é o nosso Pastor (Carlos Silva)

 

Ação de Graças: Saboreai e vede como o Senhor é bom (M. Luís)

 

Cântico Final: Cantai ao Senhor um Cântico novo  (F. Silva)

 

 

Check Also

14 de junho de 2020 – 11º Domingo do Tempo Comum -Ano A

LEITURA I Ex 19, 2-6a Leitura do Livro do Êxodo Naqueles dias, os filhos de …