9 de maio de 2021 – Liturgia do 6º Domingo da Páscoa -Ano B

LEITURA I Actos 10, 25-26.34-35.44-48

Leitura dos Actos dos Apóstolos

Naqueles dias, Pedro chegou a casa de Cornélio. Este veio-lhe ao encontro e prostrou-se a seus pés. Mas Pedro levantou-o, dizendo: «Levanta-te, que eu também sou um simples homem». Pedro disse-lhe ainda: «Na verdade, eu reconheço que Deus não faz acepção de pessoas, mas, em qualquer nação, aquele que O teme e pratica a justiça é-Lhe agradável». Ainda Pedro falava, quando o Espírito desceu sobre todos os que estavam a ouvir a palavra. E todos os fiéis convertidos do judaísmo, que tinham vindo com Pedro, ficaram maravilhados, ao verem que o Espírito Santo
Se difundia também sobre os gentios, pois ouviam-nos falar em diversas línguas e glorificar a Deus. Pedro então declarou: «Poderá alguém recusar a água do Baptismo aos que receberam o Espírito Santo, como nós?». E ordenou que fossem baptizados em nome de Jesus Cristo. Então, pediram-Lhe que ficasse alguns dias com eles.

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL Salmo 97 (98), 1.2-3ab.3cd-4 (R. cf. 2b)

Refrão: O Senhor manifestou a salvação a todos os povos.

Ou: Diante dos povos manifestou Deus a salvação.

Cantai ao Senhor um cântico novo
pelas maravilhas que Ele operou.
A sua mão e o seu santo braço
Lhe deram a vitória.

O Senhor deu a conhecer a salvação,
revelou aos olhos das nações a sua justiça.
Recordou-Se da sua bondade e fidelidade
em favor da casa de Israel.

Os confins da terra puderam ver
a salvação do nosso Deus.
Aclamai o Senhor, terra inteira,
exultai de alegria e cantai.

 

LEITURA II 1 Jo 4, 7-10

Leitura da Primeira Epístola de São João

Caríssimos: Amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Assim se manifestou o amor de Deus para connosco: Deus enviou ao mundo o seu Filho Unigénito, para que vivamos por Ele. Nisto consiste o amor: não fomos nós que amámos a Deus, mas foi Ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de expiação pelos nossos pecados.

Palavra do Senhor

 

EVANGELHO Jo 15, 9-17

+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Assim como o Pai Me amou, também Eu vos amei. Permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como Eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e permaneço no seu amor. Disse-vos estas coisas, para que a minha alegria esteja em vós,
e a vossa alegria seja completa. É este o meu mandamento: que vos ameis uns aos outros, como Eu vos amei Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida pelos amigos. Vós sois meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi a meu Pai. Não fostes vós que Me escolhestes; fui Eu que vos escolhi e destinei,
para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça. E assim, tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo concederá. O que vos mando é que vos ameis uns aos outros».

Palavra da salvação.

 

Reflexão

Antes de subir ao Céu Jesus prometeu aos Apóstolos que lhes enviaria o Espírito Santo. Ele está connosco quando rezamos e guia-nos para vivermos bem a Santa Missa, para, unidos a Jesus, irmos com Ele e por Ele até ao Pai.

 

1)Se guardardes os Meus mandamentos   

Jesus diz-nos: Se guardardes os Meus mandamentos permanecereis no Meu amor.

É a prova dos nove. Somos amigos de Jesus se procuramos guardar a Sua palavra e vivê-la em nossa vida, ajudados pela graça que nos dá e guiados pelo Espírito Santo. É uma luta de todos os dias sem nunca desanimar e sem nunca nos darmos por satisfeitos. Vale a pena. Jesus promete na mesma ocasião: Se alguém Me ama guardará a minha palavra, meu Pai o amará e Nós viremos a ele e faremos nele a nossa morada (Jo 14,23).

Tornamo-nos templos vivos de Deus, unidos a Ele pelo amor. Em nossa alma estará não só o Espírito Santo mas toda a Santíssima Trindade.

Sóror Isabel da Santíssima Trindade exclamava: “Tenho o Céu dentro de mim, porque o Céu é Deus e Deus está na minha alma”.

Procuremos deveras ser santos, crescer cada dia no amor de Deus, vivendo esse amor na vida cada dia: no trabalho, na oração, no convívio com os outros, nas alegrias e penas de cada dia.

Jesus deixa também o mandamento novo. É este o Meu mandamento: que vos ameis uns aos outros como Eu vos amei. É o sinal dos cristãos. Nisto conhecerão que sois Meus discípulos se vos amardes uns aos outros (Jo13,35).

2) Que a minha alegria esteja em vós        

O Senhor promete a alegria aos Seus discípulos, quando está prestes a começar a Sua Paixão.

Disse-vos estas coisas para que a Minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja completa.

O sofrimento não impede a alegria verdadeira, que Jesus garante aos Seus amigos. É alegria de quem se sabe filho de Deus, um Pai que sabe tudo e tem todo o poder. O sofrimento será um remédio amargoso mas necessário para a nossa alma e para a salvação dos outros à nossa volta.

S.Paulo lembra: Deus concorre em tudo para o bem dos que O amam (Rom8,28).

Um dos frutos da ação do Espírito Santa em nossa alma é a alegria. Os Apóstolos quando foram presos e chicoteados saíram alegres por sofrerem pelo nome de Jesus.

Ele está em nossa alma em graça. É Ele que nos faz santos. Temos de colaborar com Ele lutando por evitar o pecado mesmo venial. Estando atentos às Suas inspirações por uma vida de oração contínua, pela prática da mortificação, que retira os obstáculos à Sua ação em nossa alma.

S.Paulo lembra que não podemos sequer dizer Senhor Jesussenão pelo Espírito Santo (1 Cor 12,3). Temos de agradecer-Lhe a Sua atividade em nossa alma e deixar-nos guiar mais docilmente por Ele.

Ser santos é ser felizes já na terra, no meio de contradições e dificuldades. S.Tomás Moro, quando estava prestes a ser morto na Torre de Londres, dizia ao alcaide -ajuda-me a subir que para descer não vou pedir-te ajuda. E ao carrasco que ia cortar-lhe a cabeça acrescentava com bom humor: -desvia a minha barba. Teria pena que a cortasses. Ela não é réu de alta traição.

3)  O Espírito Santo desceu sobre eles

Os Apóstolos e os primeiros cristãos sentiram muito vivamente a ação do Espírito Paráclito

na vida da comunidade cristã e no seu crescimento maravilhoso. Ele dava sabedoria e fortaleza a Pedro e aos Doze para proclamarem o Evangelho. Movia os diáconos e leigos a espalharem com entusiasmo a mensagem de Cristo.

Guiou Pedro para ir a casa do centurião Cornélio em Cesareia. Enquanto falava o Espírito Santo desceu sobre aquela família, mostrando claramente a Pedro que os pagãos também deviam ser admitidos na Igreja sem terem de sujeitar-se às imposições da Lei mosaica.

O livro dos Atos dos Apóstolos fala-nos uma e outra vez desta manifestação do Paráclito na vida da Igreja. Foi chamado o Evangelho do Espírito Santo. Em quase todas as páginas se fala da sua atuação na Igreja primitiva.

Antes de morrer Jesus falou aos Apóstolos do Espírito Santo que lhes enviaria para os confortar, para os ensinar e para os guiar. Ele é o Paráclito, o Consolador que ficará sempre com eles e os guiará no conhecimento e na compreensão das verdades da fé que Jesus lhes tinha confiado.

Ele é Deus, a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Procede do Pai e do Filho, é o Amor que une o Pai e o Filho desde toda a eternidade.

Vamos aproveitar melhor estes dias para rezar ao Divino Consolador, para pedir as Suas luzes, para estarmos mais atentos às Suas inspirações e nos deixarmos guiar por Ele.

Depois da Ascensão os Apóstolos ficaram em Jerusalém em oração com Maria, preparando-se para a vinda do Espírito Santo, como Jesus lhes havia recomendado.

Muitos cristãos aproveitam estes dez dias, este decenário depois da Ascensão, para rezarem mais ao divino Paráclito, para Lhe pedirem muitos favores para a Igreja e para si próprios.

Devemos também ter consciência da Sua atividade na vida da Igreja em nossos tempos. Ele continua a conduzi-la e a renová-la pelo mundo fora. O demónio procura destruí-la e semear o joio no campo de Deus. Às vezes parece que consegue vencê-la com os escândalos de alguns dos seus membros, com a confusão de erros que vão surgindo, com o enfraquecimento da fé em alguns países. Mas Jesus prometeu a Pedro: Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não levarão a melhor contra ela (Mt 16,18). A palavra de Jesus não falha, porque Ele é a Verdade e tem todo o poder. O Espírito Santo trabalha nos corações dos homens e nos pastores da Igreja.  Rezemos mais ao Divino Paráclito para que renove a face da terra e trabalhemos unidos a Ele, para que o Reino de Cristo chegue a todas as almas.

Aprendamos com Nossa Senhora a viver, como Ela viveu, unidos ao Espírito Santo e, com Ele, ao Pai e a Jesus Nosso Senhor.

 

Oração Universal ou dos Fiéis 

Irmãs e irmãos:
Roguemos ao Pai, que está nos céus, que escute as nossas preces pela Igreja e por todos os homens deste mundo,
dizendo (ou: cantando), com fé:

R. Ouvi-nos, Senhor.
Ou: Abençoai, Senhor, a vossa Igreja.
Ou: Ouvi, Senhor, o vosso povo.

1. Pelas Igrejas do Norte e do Sul
que confessam a ressurreição de Jesus Cristo
e pelos cristãos que perderam a fé,
oremos, irmãos.

2. Pelos governantes de todas as nações,
pelos cidadãos que vivem com justiça
e por aqueles que são vítimas inocentes,
oremos, irmãos. 

3. Pelos pagãos que se convertem ao Evangelho,
pelos Judeus que ainda esperam o Messias
e pelos adultos que se preparam para o Baptismo,
oremos, irmãos. 

4. Pelos discípulos que Jesus escolhe e envia,
pelos que amam a Deus acima de tudo
e por aqueles que dão a vida pelos amigos,
oremos, irmãos. 

5. Pelas crianças da primeira Comunhão,
pelos jovens que se preparam para o casamento
e pelos lares onde existe e cresce o amor,
oremos, irmãos. 

(Outras intenções: todas as mães; jovens que casaram há um ano …).

 

Deus de amor e nosso Pai,
ouvi a oração dos vossos filhos e fazei que o dom do Espírito Santo guarde em nós a memória sempre viva das palavras de Jesus aos seus discípulos.
Por Cristo, nosso Senhor.

Check Also

18 de abril de 2021 -Liturgia do 3º Domingo da Páscoa -Ano B

LEITURA I Actos 3, 13-15.17-19 Leitura dos Actos dos Apóstolos Naqueles dias, Pedro disse ao …