4 de abril de 2021 – Domingo de Páscoa da Ressurreição do Senhor – Ano B

LEITURA I Actos 10, 34a.37-43

 

Leitura dos Actos dos Apóstolos

Naqueles dias, Pedro tomou a palavra e disse: «Vós sabeis o que aconteceu em toda a Judeia, a começar pela Galileia, depois do baptismo que João pregou: Deus ungiu com o Espírito Santo e com poder Jesus de Nazaré, que passou fazendo o bem e curando a todos os que eram oprimidos pelo Demónio, porque Deus estava com Ele. Nós somos testemunhas de tudo o que Ele fez no país dos judeus e em Jerusalém; e eles mataram-n’O, suspendendo-O na cruz. Deus ressuscitou-O ao terceiro dia e permitiu-Lhe manifestar-Se, não a todo o povo, mas às testemunhas de antemão designadas por Deus, a nós que comemos e bebemos com Ele, depois de ter ressuscitado dos mortos. Jesus mandou-nos pregar ao povo e testemunhar que Ele foi constituído por Deus juiz dos vivos e dos mortos. É d’Ele que todos os profetas dão o seguinte testemunho: quem acredita n’Ele recebe pelo seu nome a remissão dos pecados».

 

Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL Salmo 117 (118), 1-2.16ab-17.22-23 (R. 24)

 

 

Refrão: Este é o dia que o Senhor fez:

exultemos e cantemos de alegria.

 

Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom,

porque é eterna a sua misericórdia.

Diga a casa de Israel:

é eterna a sua misericórdia.

 

A mão do Senhor fez prodígios,

a mão do Senhor foi magnífica.

Não morrerei, mas hei-de viver

para anunciar as obras do Senhor.

 

A pedra que os construtores rejeitaram

tornou-se pedra angular.

Tudo isto veio do Senhor:

é admirável aos nossos olhos.

 

 

LEITURA II Col 3, 1-4

 

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Colossenses

Irmãos: Se ressuscitastes com Cristo, aspirai às coisas do alto, onde está Cristo, sentado à direita de Deus. Afeiçoai-vos às coisas do alto e não às da terra. Porque vós morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a vossa vida, Se manifestar, também vós vos haveis de manifestar com Ele na glória.

 

Palavra do Senhor.

 

 

 

SEQUÊNCIA

 

À Vítima pascal

ofereçam os cristãos

sacrifícios de louvor.

 

 

O Cordeiro resgatou as ovelhas:

Cristo, o Inocente,

reconciliou com o Pai os pecadores.

 

 

A morte e a vida

travaram um admirável combate:

Depois de morto,

vive e reina o Autor da vida.

 

Diz-nos, Maria:

Que viste no caminho?

Vi o sepulcro de Cristo vivo

e a glória do Ressuscitado.

 

 

Vi as testemunhas dos Anjos,

vi o sudário e a mortalha.

Ressuscitou Cristo, minha esperança:

precederá os seus discípulos na Galileia.

 

 

Sabemos e acreditamos:

Cristo ressuscitou dos mortos.

Ó Rei vitorioso,

tende piedade de nós.

 

 

EVANGELHO Jo 20, 1-9

 

+ Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

 

No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi de manhãzinha, ainda escuro, ao sepulcro e viu a pedra retirada do sepulcro. Correu então e foi ter com Simão Pedro e com o discípulo predilecto de Jesus e disse-lhes: «Levaram o Senhor do sepulcro e não sabemos onde O puseram». Pedro partiu com o outro discípulo e foram ambos ao sepulcro. Corriam os dois juntos, mas o outro discípulo antecipou-se, correndo mais depressa do que Pedro, e chegou primeiro ao sepulcro. Debruçando-se, viu as ligaduras no chão, mas não entrou. Entretanto, chegou também Simão Pedro, que o seguira. Entrou no sepulcro e viu as ligaduras no chão e o sudário que tinha estado sobre a cabeça de Jesus, não com as ligaduras, mas enrolado à parte. Entrou também o outro discípulo que chegara primeiro ao sepulcro: viu e acreditou. Na verdade, ainda não tinham entendido a Escritura, segundo a qual Jesus devia ressuscitar dos mortos.

Palavra da salvação.

 

 

Reflexão:

«Este é o dia que o Senhor fez, exultemos e cantemos de alegria».

Que maravilha celebrarmos o nosso encontro com Cristo Vivo. Ele é o Ressuscitado, o mesmo que morreu por nós. Ele está aqui. Ele chama por ti. Ele ama-te. Ele diz como és precioso aos seus olhos.

 

1-Pedro e a Ressurreição de Cristo.

Na primeira Leitura e no Evangelho sentimos a alegria da palavra de Pedro sobre Jesus e os seus gestos de homem de fé.

Eloquente discurso de Pedro sobre a Ressurreição de Jesus Cristo. É do conhecimento de muitos o itinerário de amor da vida de Cristo, exprimindo esse amor numa entrega total da sua vida. Ele deu a vida porque revelou Deus como Pai de ternura, de misericórdia, que busca os pequeninos, os pobres e os pecadores. Ele deu a vida porque anunciou um reino de dignidade, de justiça, verdade, paz e amor construído na igualdade fundamental de todos e na facilidade de estabelecer comunhão com Deus. Ele deu a vida como consequência do seu messianismo que se constrói não pela força, poder e arrogância mas pelo amor mais puro e belos sobre todos.

Pedro leva em si uma experiência única de amor. Jamais poderá silenciar Cristo ressuscitado. Pedro ouviu o que lhe contaram e partiu, embora fosse o último a chegar, porque as forças físicas não o permitiram. Que bela é a Igreja que, uns correndo mais depressa, esperam por Pedro e escutam e compreendem os seus gestos. Que força tem uma Igreja que anuncia a Ressurreição no testemunho de unidade e comunhão com Pedro.

Ontem como hoje Cristo ressuscitado, que vive connosco, espera a mesma solicitude e o mesmo amor para com Pedro. Importa correr mas pelo caminho que segue Pedro e importa deixar que Pedro nos seus gestos, na sua palavra, nos seus silêncios e nas suas lágrimas nos fale sobre Jesus.

Cristo Ressuscitado quer ajudar-nos a compreender que a presença de Pedro é necessária na sua Igreja anunciadora de que Cristo Vive.

 

2- O Ressuscitado está entre nós.

Que alegria saber que Cristo vive. Que é o Emanuel, Deus connosco. Que se manifesta na paz, na misericórdia, na eucaristia, na palavra, nos sacramentos, na sua Igreja, na pessoa de cada irmão e irmã.

Como nos lança o desafio de O sabermos encontrar, de nos relacionarmos com Ele, de confiar n’Ele e de seguir comprometidos com Ele.

Ele caminha connosco, às vezes, como um desconhecido que se mete connosco e nos interpela sobre as nossas fugas, os nossos medos, as nossas tristezas e o nosso pensamento poisado no pessimismo, na ausência da esperança.

Caminha e dialoga. Como no princípio, buscando o homem e a mulher, enganados e fugidios, dialogando com palavras de vida e misericórdia. Ele quer dialogar connosco para iluminar o sentido mais belo e profundo da nossa vida, acender o amor em nosso coração. Ele que sentar-se connosco e dar-se inteiramente. Ele que levar-nos à alegria da vida e ao anúncio da sua ressurreição.

 

3- Testemunhas da Ressurreição.

Somos interpelados. O ressuscitado dá-se a nós como se deu aos primeiros. Sigamos o testemunho de Maria Madalena, cheia de fogo de amor, ainda escuro vai ao sepulcro, sem medo, com audácia. Ela pressente os novos sinais de vida. Com o mesmo amor corre. Dizia São Boaventura que o amor vê mais longe. Corre e bate à porta certa: Pedro e depois ao discípulo predileto. E quem é esse discípulo predileto ou discípulo amado? É o discípulo que ama e que faz a vontade do Pai!

Depois já correm mais dois. O amor é contagiante. E depois é uma correria de amor anunciado e proclamando o acontecimento fundamental da nossa fé: Cristo ressuscitou. Ele está vivo. É este Cristo que nós testemunhamos e anunciamos. E vemos a beleza desta presença de Cristo em vinte e um séculos da sua igreja. Maravilha!

 

 

Oração Universal ou dos Fiéis

 

Caríssimos irmãos e irmãs em Cristo:

Neste dia santíssimo, em que os cristãos dizem uns aos outros, “Cristo ressuscitou, aleluia”,

digamos (ou: cantemos), nós também, com alegria:

 

  1. Cristo ressuscitado, ouvi-nos.

Ou: Cristo, ouvi-nos. Cristo, atendei-nos.

Ou: Abençoai, Senhor, a vossa Igreja.

 

 

  1. Para que o Senhor Jesus ressuscitado,

que apareceu a alguns dos seus discípulos,

faça da Igreja testemunha da esperança,

oremos.

 

 

  1. Para que o Senhor Jesus, o Deus connosco,

que inaugurou na terra um novo reino,

faça crescer a paz entre as nações,

oremos.

 

 

  1. Para que o Senhor Jesus, o Homem novo,

renove em cada um dos seus discípulos

o gosto de procurar os bens do alto,

oremos.

 

 

  1. Para que o Senhor Jesus, Filho de Deus,

que pela sua Ressurreição venceu a morte,

dê a vida eterna aos moribundos,

oremos.

 

 

  1. Para que o Senhor Jesus, Deus imortal,

que intercede por nós junto do Pai,

nos faça participar da sua glória,

oremos.

 

 

(Outras intenções: famílias que se reúnem neste dia; nossos familiares defuntos …).

 

 

Senhor Jesus Cristo,

que nos fizestes passar, sem o merecermos, da escravidão à liberdade dos filhos de Deus,

fazei-nos anunciar, com alegria, a Boa Nova proclamada nesta Páscoa.

Vós que viveis e reinais por todos os séculos dos séculos.

Check Also

25 de abril de 2021- Liturgia do 4º Domingo da Páscoa- Domingo do Bom Pastor

LEITURA I Actos 4, 8-12 Leitura dos Actos dos Apóstolos Naqueles dias, Pedro, cheio do …